Programação cultural celebra o mês da Consciência Negra em BH; veja as atrações

Música, teatro, dança e gastronomia estão na agenda de eventos, que inclui festival ao ar livre no Centro

por Márcia Maria Cruz 18/11/2018 09:05
Tamas Bodolay/divulgação
O cantor, compositor e multi-instrumentista Sérgio Pererê é uma das atrações do Festival Somos Todos Black (foto: Tamas Bodolay/divulgação)

Em 20 de novembro de 1695, Zumbi dos Palmares foi preso e degolado num quilombo em Alagoas. Aquele dia poderia ser o marco do fim da luta dos negros pela liberdade. Mas não foi. Em 2003, ele se tornou a data da consciência negra, só instituída no calendário nacional em 2011. Ativistas, artistas e intelectuais afro-brasileiros procuram dar visibilidade ao 20 de novembro como o momento de refletir sobre o preconceito racial e a situação dos negros no país. No entanto, advertem: a discussão sobre igualdade racial não deve se restringir apenas à data, tampouco os negros devem ser lembrados e convidados para atividades apenas em novembro.

Seguindo essa premissa, mas sem perder a dimensão festiva e afetiva, extensa programação lembrará o Mês da Consciência Negra em Belo Horizonte.

Neste domingo (18), o Memorial Minas Gerais Vale recebe, às 11h, Griot – histórias e cantorias, da Companhia Teatro Negro e Atitude. Griots são respeitados mestres africanos contadores de histórias. Atores brincam, cantam e narram lendas para a  garotada.

Em sua terceira edição, o Festival Somos Todos Black celebrará a data com música, arte, gastronomia, intervenções urbanas, debates e lançamento de livros. Sábado e domingo (24 e 25), a Rua Guaicurus será palco de uma grande festa ao ar livre, com direito a feira de roupas, acessórios, livros, turbantes e cosméticos.

Cozinheiros do Circuito Gastronômico de Favelas apresentarão seus pratos. Na programação de shows, estarão presentes Flávio Renegado, que comemora seus 10 anos de carreira, Manu Dias, Sérgio Pererê, Das Quebradas e o coletivo Negras Autoras.

Pablo Bernardo/divulgação
Jovens dançarinos da ONG Lá da Favelinha participarão da Disputa Nervosa, duelo de passinho (foto: Pablo Bernardo/divulgação)

Para deixar o festival ainda mais animado, haverá a Disputa Nervosa, evento de dança promovido pela ONG Lá da Favelinha. Durante a batalha de passinho, jovens duelam para apresentar os movimentos mais bonitos e ousados.

PRA CIMA O sábado promete ser de muito suingue, com samba, eletrônica, funk e rap. Sérgio Pererê buscou músicas mais dançantes tanto em seu último CD, Cada um, quanto nos mais antigos. “Pensei em algo bem pra cima, com o que há de mais pulsante do disco novo e dos outros trabalhos. Será grande festival, queremos muita gente na rua. Está bem variado, com expressões diversas da cultura negra”, adianta o cantor, compositor e multi-instrumentista.

Pererê diz que o Dia da Consciência Negra é oportunidade para a reflexão crítica, mas sem perder a alegria. “Nós, negros, sobrevivemos ao período colonial, à escravidão. Temos que buscar formas de viver felizes neste país”, afirma, prevendo retrocessos no campo da política. Para ele, o 20 de novembro não é data comemorativa e deve ser demarcada no calendário por seu caráter didático. “Dia da Consciência Negra é todo dia. A gente é negro todos os dias, não apenas em novembro”, ressalta.

O Festival Somos Todos Black evidencia a contribuição da África para o país. “Digo que 80% da cultura brasileira têm herança africana. Na música, quase tudo o que temos é africano. Na linguística, na filosofia de vida, em tudo temos esse legado”, diz Pererê.

MAKAMBA No sábado (24) e no domingo (25), as comemorações ocorrerão também no Mercado da Lagoinha, que receberá o Festival Afrocultural Makamba. O destaque é a ação de empreendedores negros. O público poderá degustar pratos da culinária oriunda da África. Vão se apresentar a Velha-guarda do Samba da Lagoinha e Afoxé Bandarerê.

Maíra Cabral/divulgação
Gastronomia popular ganha destaque no Circuito Gastronômico de Favelas (foto: Maíra Cabral/divulgação)

Makamba, palavra da língua kimbundo, significa amizade. “Não queremos ter rótulos ou datas específicas. Para nós, negros, o 20 de novembro é muito importante, pois a sociedade não nos valoriza em outras épocas”, diz Vivian Monakiezi, organizadora do evento.

ZUMBI Há nove anos, personalidades negras com atuação reconhecida em diversas áreas recebem o Prêmio Zumbi de Cultura, promovido pela Cia. Baobá. “Em 2009, quis fazer um projeto para homenagear a mestra Maria Elizabeth Mendes, a dona Bela da Irmandade de Moçambique São João Batista. Na época, ela me disse que jamais havia entrado no Palácio das Artes. Nós, da Baobá, fazíamos o projeto Domingo no Palácio. Levamos a dona Bela até lá”, relembra Júnia Bertolino, produtora cultural e idealizadora do prêmio. Bailarina dedicada à dança afro, ela percebeu a necessidade de apresentar mestres de manifestações ligadas à cultura negra em espaços nobres da capital.

Nesta edição, 100 grupos indicaram nomes para concorrer ao Zumbi. Pela primeira vez, os vencedores foram conhecidos antes do dia da entrega do prêmio: Ayana Amorim (protagonismo juvenil), Carlos Alberto (personalidade negra), dona Divina (menção honrosa), Edson Babu (educação), Irmandade Imaculada de Nossa Senhora do Rosário de Justinópolis (manifestação cultural), José Nilson (música), Jozeli Rosa de Souza (atuação política), Madu Costa (literatura), Madu Santos (dança) e Ricardo Moura (religiosidade).

De acordo com Júnia Bertolino, o Dia da Consciência Negra deve estimular a reflexão sobre a situação do negro brasileiro, o que inclui a implementação de políticas educacionais, acesso ao mercado de trabalho e a valorização da representatividade tanto política quanto nos meios de comunicação.

“São 323 anos de luta e morte de Zumbi dos Palmares, líder que conseguiu reunir tantas pessoas de todas as etnias, não só negras. Ele propôs uma outra forma de sociedade, o que está sendo buscado agora neste século 21”, conclui a coordenadora da Cia. Baobá.

 

PROGRAMAÇÃO


DOMINGO (18)
» Griot, histórias e cantorias
Com Teatro Negro e Atitude. Às 11h, no Memorial Minas Gerais Vale. Praça da Liberdade, 640, Funcionários. Entrada franca. Retirada de senhas a partir
das 10h

» Ama
Peça da Cia. Espaço Preto.
Às 19h, no Teatro Francisco Nunes. Avenida Afonso Pena, 1.377, Centro. R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Informações: (31) 3277-6325

TERÇA (20)
» Celebração do Dia da
Consciência Negra
Cidade Administrativa,
das 8h às 17h15

» Prêmio Zumbi de
Cultura 2018
Às 19h, no Sesc Palladium. Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3270-8100. Com Mestre Conga, Mestre Lagoinha, Ronaldo Coisa Nossa, Yolanda, Denísia, Conversamba, Edson Babu, Carlos Afro, Cia. Baobá e Axé Bandarerê. Ingresso: R$ 2

QUARTA (21)
» Lançamento do livro
O que é encarceramento
em massa
De Juliana Borges. Às 19h, na Avenida Afonso Pena, 2.925, Centro. Mesa-redonda Empreendedorismo Periférico, com Itala Herta (BA), Alex Barcelos (SP), Danusa Carvalho (BH), Makota Kizandembu (BH) e Vânia do Carmos Silva (Bloco Angola Janga). Informações: www.facebook.com/
somostodosblack

QUINTA (22)
» Mesa-redonda Sabedoria
de Mulher Preta
Com Capitã Pedrina, Mametu Muiânde, Majota Kidoiale e Makota Celinha. Às 19h, na Avenida Afonso Pena, 2.925, Centro. Informações: www.facebook.com/
somostodosblack

SÁBADO (24)
» Somos Todos Black
A partir das 14h, na
Rua Guaicurus, entre ruas
da Bahia e Espírito
Santo, Centro
Feira de roupas, acessórios, livros, turbantes e cosméticos
Circuito Gastronômico
de Favelas
Apresentação de DJ Maurinho, Disputa Nervosa, Macaco Soul, Negras Autoras, Flávio Renegado, Manu Dias, Sérgio Pererê e Das Quebradas

Informações: www.facebook.com/
somostodosblack

» Festival Afrocultural Makamba
Mercado da Lagoinha.
Av. Presidente Antônio Carlos,
821, Lagoinha
Das 10h às 18h, feira de artesanato e comidas típicas. Shows com Velha-guarda da Lagoinha e Afoxé Bandarerê

DOMINGO (25)
» Somos Todos Black
A partir das 10h, na
Rua Guaicurus, entre ruas
da Bahia e Espírito
Santo, Centro
Visita guiada à
Rua Guaicurus
Aniversário da alegria
Feira de roupas, acessórios, livros, turbantes e cosméticos
Banquete das Missões. Cozinha da senzala com
os mentores Flávio Trombino/Xapuri e Americo Piacenza. Convidadas: dona Dirce, dona Nilce e Lucilene
Apresentações de Orisamba, Preta Poeta, Juventude de Terreiro, DJ Maurinho, Palomita, Angola Janga e Zi Reis (grafite ao vivo)

» Festival Afrocultural Makamba
Mercado da Lagoinha.
Av. Presidente Antônio Carlos, 821, Lagoinha
Das 10h às 18h, feira de artesanato e comidas típicas. Shows com Velha-guarda da Lagoinha e Afoxé Bandarerê

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE E-MAIS