Equipe de afiliada do SBT é surpreendida por tiroteio e foge pulando muro

A repórter Cláudia Gomes narrou os momentos de sufoco ao vivo

por Diário de Pernambuco 11/01/2018 09:07
TV Borborema/Reprodução
A repórter Cláudia Gomes fez o relato durante o programa jornalístico Patrulha da Cidade. (foto: TV Borborema/Reprodução)
Uma equipe da TV Borborema, afiliada do SBT na Paraíba, passou por momentos de pânico durante a produção de uma reportagem sobre um jovem assassinado e a guerra pelo tráfico no município de Campina Grande, na última terça-feira (9). A repórter Cláudia Gomes e o cinegrafista Popó Calixto estavam apurando informações no bairro de Jeremias, na Zona Norte do município, quando foram surpreendidos pela chegada de um carro com quatro homens armados. De acordo com a jornalista, os suspeitos deram vários tiros para o alto

"Todo mundo na rua correu. O motorista da minha equipe entrou dentro do carro e fugiu. Eu e o cinegrafista corremos para o quintal da residência. O meu cinegrafista pulou o muro e correu para se esconder em outra residência. Como o muro era um pouco alto eu não consegui pular e fiquei escondida no quintal", relatou a repórter durante o programa jornalístico Patrulha da cidade, comandado pelo âncora José Cláudio. 
 
"A gente nunca tinha vivenciado algo como isso na pele. Tivemos que correr para não ser mais uma vítima da violência", contou Cláudia. Ela ainda explicou que o bairro de Jeremias atualmente vive em uma guerra pelo comando do tráfico com o vizinho bairro do Araxá. "A gente costuma chegar nesses bairros para tentar colher informações, mas acontece que as pessoas estão com medo de falar. A população vive tão aterrorizada que não quer passar informações básicas", disse a jornalista.

A polícia foi acionada, fez rondas, mas não conseguiu localizar os suspeitos. A equipe tentou entrar em outro bairro, mas declinou ao saber através de moradores que também houve tiroteio. "Os bandidos mandam lá. A gente só entra [nos bairros] com permissão. Nesses locais, impera a lei do silêncio", desabafou.

Assista ao relato de Cláudia Gomes:
 

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE E-MAIS