'Ursinho Pooh' é censurado na China por comparação com presidente

Imagens do desenho animado passaram a ser bloqueadas nas redes sociais

por AFP - Agence France-Presse 17/07/2017 17:26
Facebook/Reprodução
Parecidos? Montagens com o ursinho estão sendo censuradas (foto: Facebook/Reprodução)
Algumas referências ao Ursinho Pooh começaram a ser bloqueadas nas redes sociais na China, onde a imagem do famoso urso costuma ser usada em memes, nos quais também aparece o presidente Xi Jinping.

Nesta segunda-feira ainda era possível publicar a imagem no ursinho da rede social Weibo, equivalente chinesa do Twitter, assim como a frase "Weini xiao xiong" (O ursinho Pooh, em chinês). Mas qualquer comentário sobre o personagem estava bloqueado com uma mensagem que dizia que "este conteúdo é ilegal".

O aplicativo de mensagens WeChat, muito utilizado na China, suprimiu a imagem do urso de sua galeria de imagens, embora os usuários ainda possam divulgar os próprios GIFs do personagem criado na Grã-Bretanha em 1920.

"Pobre ursinho Pooh. Que mal fez esse adorável filhote de urso que ama mel?", questionou um usuário no Weibo.

Conforme se aproxima o congresso quinquenal de outono do Partido Comunista Chinês, no qual o presidente Xi Jinping deve obter um novo mandato para comandar o país, os censores de Pequim aumentaram a vigilância para proteger a imagem do chefe de Estado.

As primeiras comparações entre o urso e o líder da segunda potência econômica mundial aconteceram em 2013, quando os internautas sobrepuseram uma imagem de Xi Jinping e do ex-presidente americano Barack Obama com uma do Pooh e de seu amigo Tigrão.

Um ano depois, os internautas fizeram algo parecido, mas com uma foto de Xi e do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que compararam com uma imagem de Pooh abraçando o seu amigo Bisonho.

Em 2015, a imagem do presidente chinês fazendo a revista das tropas foi comparada com uma do urso, de pé, em um carro conversível, se tornando "a foto mais censurada do ano na China", segundo a página de análise política Global Risk Insights.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS