Diego Bagagal leva para o palco a trajetória do escritor irlandês Oscar Wilde

'Em louvor à vergonha' fica em cartaz ate domingo na Funarte MG

por Fernanda Machado 07/02/2014 06:00

Ronaldo Jannotti/divulgação
(foto: Ronaldo Jannotti/divulgação)
Obrigado a amargar dois anos de prisão por ser gay, o escritor Oscar Wilde (1854-1900) – defensor do “amor que não ousa dizer seu nome” e autor do clássico 'O retrato de Dorian Gray' (1890) – inspira a peça mineira 'Em louvor à vergonha', que ficará em cartaz até domingo na Funarte MG.


O ator e diretor Diego Bagagal leva para o palco a última hora de vida do irlandês – autor de sucesso em seu país, perseguido implacavelmente e obrigado a abandonar Dublin. Exilado em Paris, Oscar Wilde trocou de nome, além de perder a pouca saúde que lhe restara. Morreu falido e solitário.


Fragmentos cênicos remetem a momentos emblemáticos da trajetória do traumatizado Wilde depois de enfrentar o tribunal e ser condenado por cometer o crime de “indecência grave”.
Diego Bagagal interpreta Wilde no limiar da loucura, às voltas com a paixão e a intolerância. O palco é transformado em um ringue de boxe: a cada assalto, o personagem depara com seus próprios dramas e impasses.


Teatro, música e literatura dialogam no espetáculo, cuja trilha sonora foi composta pelo baixista PJ (da banda pop Jota Quest) e por André Cavazotti, especializado em violino barroco. Trata-se de um dos poucos dramas encenados na Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, cuja programação é dominada por comédias.


 EM LOUVOR À VERGONHA
Com Diego Bagagal. Funarte, Rua Januária, 68, Floresta, (31) 3213-3084. Sexta e sábado, às 20h; domingo (último dia), às 19h. Ingressos: R$ 5 (nos postos do Sinparc).



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS