Exposição 'Escrituras em liberdade' reúne poesia experimental da Espanha e da hispano-américa

Livros, revistas, catálogos, fotografias, poemas e serigrafias de 30 criadores poderão ser vistos nas galerias Arlinda Corrêa Lima e Genesco Murta, no Palácio das Artes

17/04/2013 08:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução
Integrante da mostra, a Torre Eiffel (1918) do artista plástico Vicente Huidoro, de Madri (foto: Reprodução)
A poesia experimental da Espanha e da hispano-américa representada pela produção de 30 criadores. Essa é a proposta da exposição 'Escrituras em liberdade', promovida até 2 de junho nas galerias Arlinda Corrêa Lima e Genesco Murta, do Palácio das Artes. O recorte vai de 1905 aos dias de hoje. Influenciados pelos movimentos vanguardistas do início do século 20, diversos artistas se tornaram expoentes desse tipo de poesia. Entre livros, revistas, catálogos, fotografias, poemas e serigrafias, o público poderá perceber como a chegada das ideias futuristas e dadaístas deu lugar a uma série de movimentos pós-modernos.

O título presta homenagem ao artista Filippo Marinetti, responsável pela publicação do manifesto futurista em 20 de janeiro de 1909, no jornal parisiense 'Le Fígaro'. No documento, Marinetti anunciava nova poesia capaz de captar a vida moderna em toda a sua intensidade e dinamismo. A curadoria é do diretor do Centro de Criação Experimental da Universidade de 'Castilla-La Mancha' (Espanha), Jose Antonio Sarmiento. Inaugurada em Madri, em 2009, a exposição, realizada pelo Instituto Cervantes e embaixada da Espanha no Brasil, já passou por São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Sofia, na Bulgária, entre outras cidades.

Escrituras em liberdade
Galerias Arlinda Corrêa Lima e Genesco Murta do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro). Entrada franca. Informações: fcs.mg.gov.br e (31) 3236-7400.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS