Hamlet é o centro de espetáculo que expõe incertezas e solidão humana

A atriz Silvana Stein conta que vem desenvolvendo o personagem há 13 anos e acredita que agora achou o ponto certo

por Carolina Braga 05/03/2013 08:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ricardo Alves Jr./Divulgação
(foto: Ricardo Alves Jr./Divulgação)
Primeiro as inquietações do veterano – e mais famoso – príncipe da Dinamarca, Hamlet. Depois, a continuidade de uma pesquisa cênica de mais de 10 anos sobre o masculino. Somadas as experiências do teatro aqui, vivências cinematográficas dali. Dessa receita nasceu 'Discurso do coração infartado', o espetáculo solo da atriz Silvana Stein criado em parceria com o cineasta Ricardo Alves Jr.. A estreia será hoje, às 20h, na Sede da Funarte, para uma bem-vinda e rara temporada de sete semanas. 

A dupla assina a direção e a dramaturgia da peça, que, sobretudo, discute a solidão. “Queremos dividir uma coisa profunda e falar sobre como podemos encontrar dentro dela as nossas respostas”, comenta Silvana Stein. Segundo ela, 'Discurso do coração infartado' conta o embate de um ator ancião com os desejos que nutriu ao longo da vida. Ele, que sempre se dedicou às comédias, queria na verdade levar um drama para a cena. E mais: interpretar Hamlet, com todas as suas inconstâncias, inseguranças e dúvidas. “Ele é atormentado por esse texto durante todo o espetáculo”, conta Silvana. “Enxerga os espectros da obra. Os personagens vão invadindo a memória dele.” 

HIBRIDISMO

Ainda de acordo com a criadora, o convite para Ricardo Alves Jr. surgiu assim que viu o curta dele 'Permanências'. A partir dali, passou a considerar o quão interessante poderia ser um solo que transitasse no híbrido entre o cinema e o teatro e as combinações derivadas disso. “Acredito que é uma tendência: teatro com cinema, pintura com cinema, artes plásticas com culinária, as coisas no mundo hoje estão circulando”, justifica.
 
Como o desejo pela experimentação é essência dos artistas envolvidos, Silvana Stein diz que o cinema não aparece de maneira óbvia. O diálogo entre as artes se dá principalmente por meio das intervenções sonoras criadas por Felipe Zenícola. “A construção sonora do espetáculo é muito importante porque faz parte da dramaturgia”, adianta Stein. O longa-metragem 'Hamlet' (1948), de Laurence Olivier, está entre as referências presentes no espetáculo. 

A iluminação também é criada a partir de referências do cinema. Como a cenografia se restringe a poucos elementos, como um galpão, uma geladeira, uma cadeira, a luz elaborada por Leonardo Pavanello cumpre um papel diferenciado. “É uma grande contribuição para desenhar o espaço. Tem proposição de recortes, corredores”, explica a atriz.

PESQUISA

Desde o ano 2000, Silvana Stein trabalha na criação do protagonista. A pesquisa é fruto da investigação sobre o masculino como homem. “Esse é o terceiro espetáculo em que faço esse homem que vem se desenvolvendo na minha carreira”, revela. Desta vez, no entanto, o personagem está envelhecido e cheio de questões. 

Apesar de tratar sobre solidão, a atriz garante que 'Discurso do coração infartado' não é um espetáculo triste, melancólico ou pesado. Pelo contrário: o drama existencial do personagem é apresentado com humor e leveza. “Foi uma pesquisa muito longa e acho que deu certo. Acredito no personagem, nesse velho. É um espetáculo muito bem cuidado”, conclui.

DISCURSO DO CORAÇÃO INFARTADO
De Silvana Stein e Ricardo Alves Jr.
Local: na Funarte MG
Endreço: Rua Januária, 68, Floresta
Às terças e quartas-feiras, às 20h
Até 17 de abril
Ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Informações: (31) 3213-3084



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS