Nélida Piñon abre Fórum das Letras em Ouro Preto

Imortal da Academia Brasileira de Letras faz conferência de abertura do festival literário. Evento segue de quinta, 22 a domingo, 25

por Agência Estado 22/11/2012 16:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação / forumdasletras.ufop.br
(foto: Divulgação / forumdasletras.ufop.br)
Por pouco não foi realizada, este ano, a oitava edição do Fórum das Letras, em Ouro Preto. A curadora Guiomar de Grammont chegou a anunciar que pularia 2012 para preparar uma programação mais robusta em 2013 - de fato, essa agenda já está sendo pensada e será integrada a um encontro de poesia com autores e pesquisadores vindos da América Latina, Espanha e Portugal. Mas Guiomar, que assumiu no primeiro semestre o Departamento de Literatura Brasileira do grupo Record, voltou atrás. A demanda da população, dos hotéis e restaurantes da região, e os recursos já reservados pelos patrocinadores motivaram a mudança nos planos e, entre esta quinta-feira e domingo, a literatura dominará as conversas no Cine Teatro Vila Rica e em outros espaços do centro histórico da cidade mineira. Nélida Piñon faz, às 19 h, a conferência de abertura sobre O Livro das Horas, obra recém-lançada pela Record em que a imortal da Academia Brasileira de Letras repassa suas memórias. A Record, aliás, é a editora com mais autores nesta edição do evento. Estarão por lá Antonio Cicero, João Gilberto Noll, Fabrício Carpinejar, Luisa Geisler, Santiago Nazarian, Fernando Molica, Luize Valente, entre outros. "O acordo com a Record nos propiciou contar com a doação de um número considerável de livros para os nossos projetos educativos. Isso tornou o fórum muito mais eficaz em seu principal propósito: a formação de leitores. Por isso trouxemos mais autores da Record este ano", diz a curadora. A editora doou 300 exemplares para serem usados nos trabalhos com as escolas da região - antes e durante o evento - e prometeu outros mil exemplares, totalizando 5 mil exemplares doados ao longo dos anos. "Mas nas próximas edições continuaremos a trazer autores de diversas editoras", afirma. Guiomar diz não ser difícil conciliar sua função de editora e de curadora. "Minha capacidade de trabalho é equivalente à minha paixão por literatura. Sempre fiz dois grandes eventos por ano, inclusive neste ano, em que organizei a homenagem ao Brasil na Feira do Livro de Bogotá." Na ocasião, o país foi o convidado de honra da feira colombiana e ganhou um pavilhão para mostrar sua produção cultural. Guiomar ficou responsável pela programação literária. A cada ano, um novo tema norteia os debates. Em 2011, falou-se sobre memória e esquecimento, com ênfase para o teatro. No ano anterior, sobre a literatura africana. Como se faz um livro foi o tema escolhido para este ano e estão previstas oficinas com profissionais do mercado editorial e livreiro. Nesta quinta, 22, por exemplo, às 14 h, antes da abertura oficial, Andreia Amaral, da Civilização Brasileira, e Gilson Iannini, da Autêntica, debateram a edição de livros científicos. Em seguida, Carlos Andreazza, da Record, Cristiane Costa, da Nova Fronteira, e Eugênia Vieira, da Rocco, falaram sobre os desafios enfrentados por uma editora que publica não ficção. Sexta, às 16 h, o tema da conversa é livraria e participam Rui Campos, da Travessa, e Daniel Louzada, da Saraiva. Outros assuntos serão discutidos - sempre no anexo do Museu da Inconfidência. A questão do livro estará também nos encontros principais, realizados gratuitamente no teatro local. Sexta, às 18 h, Luisa Geisler, Ana Maria Santeiro, Luize Valente e Olavo Romano contam como foi publicar suas primeiras obras. Às 19h30, o assunto será a produção de biografias e ensaios como desafio historiográfico, com participação de Jorge Ferreira, Lucas Figueiredo e Paulo Markun. Processos e rituais da criação literária e a origem da poesia também estão entre os temas principais. Haverá, ainda, programação para as crianças no Fórum das Letrinhas, a Via-sacra Poética, a exposição Estalactites Tipográficas, do artista plástico Guilherme Mansur, na Galeria do Centro Cultural Fiemg, e o Ciclo de Jornalismo e Literatura. No encerramento, domingo, 25, à noite, será feita uma homenagem a Lúcio Cardoso às vésperas de seu centenário, com leituras de excertos de seus diários. DESTAQUES QUINTA - 22/11 19 h - Abertura com Nélida Piñon, sobre suas memórias. SEXTA - 23/11 18 h - Como Publicar o Primeiro Livro?, com Luisa Geisler, Luize Valente, Ana Maria Santeiro e Olavo Romano. SÁBADO - 24/11 14 h - Oficina - Processos de Produção do Livro no Passado e no Presente, com Fabio Montanheiro, Livia Vianna e Elisa Rosa. 18 h - Processos e Rituais Que o Escritor Usa Para Criar, com Bernardo Ajzenberg, Fabrício Carpinejar, Fernando Molica e Santiago Nazarian. 19h30 - A Poesia Nasce da Filosofia?, com Antonio Cicero, Eduardo Jardim e Ignácio Martinez Castignani. DOMINGO - 25/11 19h30 - Solidão Continental, com João Gilberto Noll. 21 h - Diários Íntimos, leitura de excertos de Lúcio Cardoso. Maiores informações sobre o festival em : www.forumdasletras.ufop.br

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS