Wilma Henriques volta aos palcos com a peça A dama desnuda

Primeira-dama do teatro mineiro vivencia uma experiência única em seus 53 anos de carreira

por Ana Clara Brant 16/11/2012 08:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ricardo S.G./Divulgação
Wilma Henriques (foto: Ricardo S.G./Divulgação )
A peça é inspirada nela. O nome do espetáculo também foi escolhido por ela. E ela é a protagonista. A primeira-dama do teatro mineiro, a atriz Wilma Henriques, vivencia uma experiência única em seus 53 anos de carreira. Nesta sexta-feira à noite, a artista de 81 anos estreia a produção A dama desnuda, que conta a história da carreira de uma atriz e vários momentos de sua vida, tudo isso com base na trajetória da própria Wilma Henriques.

“A peça não é autobiográfica. Em nenhum momento é citado meu nome, mas ela conta episódios da minha vida, da minha carreira”, revela a atriz.

Escrito por Renato Millani, dirigido por Carluty Ferreira e com supervisão artística de Jair Raso, o espetáculo é uma produção do Grupo Gambiarra.  Traz para o palco a história de uma atriz que está se preparando para receber uma homenagem e é surpreendida pela visita de uma fã em seu camarim. Em cena, além de Wilma, está a jovem atriz Patrícia Thomas, em início de carreira. Ambas assumindo o desafio de interpretar um texto próprio e que destaca o importante papel da mulher na sociedade, no teatro mineiro e brasileiro.

“É uma comédia, antes de tudo. É a primeira vez que trabalho com algo assim: participar de um projeto que tem a ver comigo. Mexe muito com as nossas memórias e emoções. Como sou uma pessoa muito sensível, estou ao mesmo tempo muito cansada e bem empolgada com o projeto”, resume.

Nascida em Conselheiro Lafaiete, em 1931, Wilma Henriques mudou-se para Belo Horizonte com a família quando tinha 2 anos. Atuando desde 1959, deu início à carreira na TV Itacolomi, onde produziu e apresentou o programa Espelho. No cinema, estrelou, em 1964, O menino e o vento, de Carlos Hugo Christensen, além de atuar em filmes de Schubert Magalhães (Ela e os homens) e Geraldo Santos Pereira (Aleijadinho – Paixão, glória e suplício) e, mais recentemente, Elza Cataldo (Vinho de rosas).

Nos palcos, Wilma foi dirigida por nomes como Eid Ribeiro, Carlos Rocha, Kalluh Araújo, Paulo Cesar Bicalho, Elvécio Guimarães, Mamélia Dorneles, Marcos Vogel, Jota D’Ângelo, Rogério Falabella e Jair Raso. A atriz interpretou marcantes personagens em espetáculos como A prostituta respeitosa, Fala baixo senão eu grito, Dona Beija, Rasga coração, Navalha na carne e A dama das camélias, entre outros.

Depois da temporada de estreia, A dama desnuda segue para Juiz de Fora, onde será apresentada dia 28, no projeto Trilha cultural do BDMG Cultural. No começo de 2013, volta em cartaz na Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Belo Horizonte.

A DAMA DESNUDA
Peça com Wilma Henriques e Patricia Thomas. Em cartaz hoje e amanhã, às 21h, e domingo, às 19h, no Teatro Alterosa (Av. Assis Chateaubriand, 499, Floresta). Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada). Informações: 3237-6611

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS