Ronaldo Fraga documenta processo de criação em exposição que inaugura nova Casa Fiat de Cultura

Nove ambientes do Palácio dos Despachos recebem mostra do estilista. Em exposição, croquis, desenhos e anotações que dão origem às coleções de moda

por Sérgio Rodrigo Reis 09/10/2012 10:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Ronaldo Fraga/Divulgação
O estilista e artista plástico mineiro Ronaldo Fraga traz a público seu processo de trabalho (foto: Ronaldo Fraga/Divulgação)

São 35 coleções, vários universos literários, plásticos e visuais pesquisados e o mesmo método de trabalho. Toda vez que o estilista Ronaldo Fraga dá início a um método para criação de novos looks e roupas, ele primeiro imagina uma ideia para, em seguida, nos meses seguintes, anotar e desenhar tudo o que aparece na sua mente relacionado ao tema. O processo conquista o público nas passarelas, quando as modelos desfilam as coleções e sempre deixa como memória cadernos de anotações. São eles a motivação da exposição Caderno de roupas, memórias e croquis, que será aberta nesta terça-feira, 9, para convidados, e a partir de 10 de outubro para o público, no Palácio dos Despachos, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade.

 

O público que for à exposição verá croquis, material gráfico, vídeos e roupas em nove ambientes. “Meu desejo é que as pessoas entrem ali e encontrem meu playground de criações com todas as referências. Vou privilegiar o registro gráfico: as roupas aparecerão pouco”, adianta. A exposição é composta de instalações que convidarão as pessoas a uma imersão no seu processo criativo e na sua visão particular da moda. Além dos aspectos econômicos, ele defende se tratar de setor com forte interface cultural, social e histórica. E ainda uma área que mistura técnica, textura, cores, tecidos e negócios.

A mostra, aberta até 9 de dezembro em Belo Horizonte e que seguirá para outras capitais, é a primeira ocupação cultural do prédio do Palácio dos Despachos, onde futuramente deverá ser inaugurada a nova sede da Casa Fiat de Cultura. O espaço está dividido em ambientes como Álbum de família, com registros gráficos do ofício e memória do estilista. Também terá parte dedicada aos ícones da literatura, música e artes visuais, fonte de inspiração das coleções. Em outro momento, revelará para onde a moda o levou, com a apresentação de fragmentos de pesquisas. Outra curiosidade será o espaço dedicado à coleção inspirada na cerâmica do Vale do Jequitinhonha.

Ao contrário da exposição sobre o Rio São Francisco — incursão anterior de Fraga pelas artes plásticas, com forte repercussão popular, mas que só podia ser apresentada na totalidade —, desta vez ele pensou num projeto dinâmico. “Meu sonho é, rapidamente, desmembrar essa parte dedicada ao Vale para circular nas cidades daquela região”, adianta. Também estão nos planos mais imediatos o lançamento de livro com os desenhos dos croquis. A obra já está sendo impressa. “Minha pretensão maior com toda a movimentação em torno da moda é que, daqui a 20 anos, encontre pessoas que tiveram o olhar transformado por mim."

Ronaldo Fraga Caderno de Roupas, Memórias e Croquis
Abertura nesta terça-feira, 9 de outubro, às 20h, para convidados, no Palácio dos Despachos, Praça José Mendes Júnior, s/nº, Lourdes, Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Aberta até 9 de dezembro, de terça a sábado, das 10h às 21h; aos domingos, das 10h às 18h. Entrada franca. Informações: (31) 3239-2014.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS