Projeto Perpendicular convida a cidade a dialogar com as provocações dos artistas

Evento se desdobra em bate-papos, lançamento de catálogos e performances

por Sérgio Rodrigo Reis 20/07/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Juan Montelpare/divulgação
Florecer, de Soledad Sánchez Goldar, uma das performances programadas para o espaço público (foto: Juan Montelpare/divulgação)
 
A ideia de modificar a ordem, com provocações ao olhar e à percepção popular por meio de performances e das artes plásticas, surgiu há quatro anos, quando o artista Wagner Rossi Campos convidou um grupo de criadores para realizar ações em seu próprio apartamento.
A proposta inicial deu tão certo que a ideia não demorou a chegar às ruas de Belo Horizonte. Mais precisamente às imediações do Edifício Maletta e aos jardins do Museu de Arte da Pampulha, além de outras cidades, como Rio de Janeiro, Maceió (Alagoas) e Fortaleza (Ceará). Na Europa, Berlim (Alemanha) e Bilbao (Espanha) também receberam Perpendicular. 
Desta sexta-feira até quarta-feira, o projeto voltará à capital mineira com atrações gratuitas e variadas: bate-papos, lançamento de catálogos e performances. Os argentinos Juan Montelpare e Soledad Sánchez Goldar, o colombiano Yury Hernando Forero e o chileno Gustavo Solar vão dialogar com pesquisadores mineiros. Em parceria com Daniel Toledo, Eduardo de Jesus, Júlio Martins e o próprio Wagner Rossi Campos, eles construíram ações que serão testadas nas imediações da Livraria Quixote, na Savassi, e no Espaço Mari’Stella Tristão (Palácio das Artes), no Centro.
A intenção é dialogar com a cidade, construindo uma espécie de cartografia subjetiva capaz de favorecer a circulação de práticas artísticas. A ideia começou com a pesquisa de mestrado de Wagner Rossi. A cada nova edição, Perpendicular se desdobrou em publicações, debates e novas performances.
Rossi explica que esse tipo de expressão não é apenas ato artístico, mas um acontecimento. “Mobiliza-se toda uma energia. Nessa ação dentro do tempo, o artista se propõe a estar numa situação diferenciada. Intervenção não deve ser vista como ato vazio, mas como ação capaz de criar as próprias simbologias”, conclui.
 
PERPENDICULAR
Nesta sexta-feira, das 17h às 21h – Performances na região da Livraria Quixote (Rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi); lançamento e distribuição gratuita do catálogo Perpendicular Fortaleza Domingo, das 17h às 21h – Ação no Espaço Mari’Stella Tristão, no Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro) . Informações: www.facebook.com/perpendicularencontrosnacidade 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS