Verbo Cia. de Teatro aborda o individualismo dos tempos atuais

Espetáculo Irmãos siameses ou Eu e tu, tu e eu fica em cartaz até o dia 15 de julho

por Ana Clara Brant 22/06/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Daniela Amaral/divulgação
Irmãos siameses ou Eu e tu, tu e eu é baseada em conto homônimo de Tristan Bernard (foto: Daniela Amaral/divulgação)
 
Escrito pelo dramaturgo e jornalista francês Tristan Bernard, pseudônimo de Paul Bernard, o conto A história de dois irmãos siameses (em domínio público) narra a saga de dois irmãos, que, ainda que ligados fisicamente, apresentam as diferenças inerentes a cada ser. E partilham, da melhor forma possível, todos os aspectos de suas vidas, até que se apaixonam pela mesma mulher.
A trama encantou os atores da Verbo Cia. de Teatro, que convidaram o dramaturgo Fernando Limoeiro para adaptar o conto de Tristan. O resultado pode ser conferido de hoje a 15 de julho, no Teatro Icbeu, na montagem que foi batizada de Irmãos siameses ou Eu e tu, tu e eu. A peça retrata a história da Família Zoffáni, uma trupe de teatro que encena, há 25 anos, o melodrama Irmãos siameses ou Eu e tu, tu e eu.
“Ficamos fascinados com a adaptação de Limoeiro. A história aborda essa questão da diferença e, ao mesmo tempo em que é hilária, é dramática. É uma tragicomédia. São pessoas que ficam grudadas literalmente, mas têm comportamento e temperamentos completamente opostos. Enquanto um é mais solto, gosta de orgias, o outro é sério, mais metódico. Falamos das diferenças e de como a sociedade está preparada para lidar com elas”, revela a atriz e produtora Elisângela Souza.
Além dela, fazem parte do elenco os atores Amélia Corrêa, Anair Patrícia, Janaína Starling, Jair Gomes e Luciano Vivacqua. A montagem é dividida em dois atos e traz à tona a abordagem de outras minorias, caso de uma mulher barbada e de um anão. Segundo Elisângela Souza, a adaptação de Fernando Limoeiro conseguiu retratar com propriedade todo esse contexto, de maneira jocosa e também poética.
Pegada O diretor Antônio Rodrigues acredita que a grande pegada da produção é o fato de todo mundo ter uma particularidade que o torna diferente. E essa característica, seja física, de personalidade ou até de gosto, faz com que o indivíduo pertença a determinado grupo. “Apesar dessas diferenças, o sentimento humano é o mesmo. No fundo, todo mundo acaba sendo igual”, defende Antônio, que decidiu trabalhar na peça a dualidade entre o realismo e o grotesco. “Quem for assistir, terá um estranhamento no começo, mas decidi colocar no espetáculo estilos e linguagens diferentes. Acho que o mais interessante dessa história é o fim surpreendente. Limoeiro conseguiu manter esse desfecho, que nos dá um tapa de luva. Em tempos em que as pessoas só se preocupam consigo mesmas, são individualistas, o conto mostra a entrega pelo amor. O fim é a grande sacada da história”, destaca o diretor.
 
Irmãos siameses ou eu e tu, tu e eu
Espetáculo da Verbo Cia. de Teatro, com adaptação de Fernando Limoeiro. De hoje a 15 de julho. Hoje e amanhã, às 20h30; domingo às 19h30, no Teatro Icbeu, Rua da Bahia, 1.723, Lourdes. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Classificação: 14 anos. Informações: 
(31) 3224-5605. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS