Peça O Ritual será a primeira montagem brasileira encenada no National Theatre, em Londres

Espetáculo do dramaturgo Samir Yazbek será encenado nesta sexta-feira

21/06/2012 09:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
O dramaturgo Samir Yazbek se tornará nesta sexta-feira o primeiro autor brasileiro a ter uma peça encenada no National Theatre, em Londres, com apresentação que integra o festival Conexões. O ritual foi escrito depois de Anthony Banks, diretor do festival, pedir a autores brasileiros uma sinopse de texto com temática jovem para participar da versão britânica do projeto – o Conexões já tem uma vertente no Brasil desde 2007.
 
Yazbek conta que queria “investigar o tom refratário da sociedade contemporânea a qualquer vínculo mais sólido”. Assim, surge o protagonista Joel, que propõe aos amigos a criação de encontros semanais para que esqueçam do amor e busquem relacionamentos sem envolvimento ou afeição. A jovem Lia dá o nome de “ritual” aos encontros, mas é Joel quem define que a frase “pela força dos nossos espíritos” seja dita ao fim de cada reunião do grupo
 
O dramaturgo contrapõe a proposta aparentemente positiva a ações cada vez mais graves e preocupantes, que põem em risco a vida dos adolescentes. “O bordão definido por Joel se contrapõe ao fato de os jovens terminarem a peça mais confusos e perdidos do que começaram”, observa Yazbek. Para o autor, a peça mostra a “construção de um ritual empobrecedor, esvaziante, incapaz de preencher o sentido da vida”.
 
O texto foi traduzido para o inglês pelo dramaturgo Mark O’Thomas; a encenação fica a cargo de jovens do Rotherham College, cuja montagem foi selecionada pela equipe do National Theatre para a apresentação de amanhã. No fim do ano, o texto será encenado no Brasil, com direção do próprio autor.
 
Para Rob Watt, produtor do festival Conexões, um dos atrativos da peça é sua universalidade, mas com uma paixão característica do Brasil. “Os jovens das companhias britânicas que encenaram o texto assimilaram bem suas questões e reconheciam os conflitos dos personagens”, afirma Watt. Ansioso em saber como o público receberá o espetáculo, Yazbek – vencedor do Prêmio Shell de melhor autor em 1999 por O fingidor e do Prêmio APCA em 2010 por As folhas do cedro – assistirá à montagem.


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS