Coleção de Gunter Sachs é vendida por US$ 56 milhões em Londres

Obras pertencentes ao bon vivant e ex marido de Brigitte Bardot foram leiloadas na terça-feira, 22, em Londres

por AFP 23/05/2012 15:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Arnd Wiegmann
Retrato de Brigitte Bardot feito por Warhol a pedido de Sachs. Leiloado por R$4,7 milhões (foto: REUTERS/Arnd Wiegmann )

A coleção de arte do falecido bon vivant alemão naturalizado suíço Gunter Sachs, ex-marido da atriz francesa Brigitte Bardot, arrecadou 35,6 milhões de libras (56,3 milhões de dólares) em um leilão realizado na noite de terça-feira, 22, em Londres.

O protagonista do leilão foi um dos últimos autorretratos do artista americano Andy Warhol (1928-1987), intitulado Pink fright wig, vendido por 5,3 milhões de libras (8,4 milhões de dólares, 6,6 milhões de euros), muito acima dos 3 milhões de libras previstos. A segunda obra mais cara foi um retrato que Sachs encarregou a seu amigo Warhol de Brigitte Bardot em 1974, cinco anos depois de seu divórcio após três anos de casamento, que mudou de mãos por 3 milhões de libras (4,7 milhões de dólares).

O retrato da mítica atriz francesa, a qual Gunter Sachs cortejou jogando centenas de rosas de um helicóptero em seu jardim, foi baseado em uma fotografia que o americano Richard Avedon tirou em 1959 da protagonista de E Deus Criou a Mulher (1956). Outro retrato encomendado a Warhol, neste caso dele mesmo, foi vendido por 1,2 milhão de libras (2 milhões de dólares).

Neto do fundador da Opel e filho de um rico industrial alemão, Gunter Sachs foi um grande bon vivant que adquiriu fama como fotógrafo, documentarista e colecionador de arte, paixão que começou a cultivar em 1959 após se instalar em Paris.

Sachs era um grande amigo de Warhol. Em 1972, organizou a primeira exposição importante do artista americano em sua nova galeria de Hamburgo e como não vendeu nada no dia da inauguração, comprou a metade das obras para evitar a vergonha de ter de admitir a derrota.

A coleção foi vendida pela melhor proposta duas semanas depois do primeiro aniversário do suicídio de Sachs aos 78 anos na Suíça, país do qual obteve a nacionalidade em 1976. Ele sofria do mal de Alzheimer.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS