Festa da leitura

Bienal do Livro de Minas vai receber 250 mil visitantes a partir de hoje no Expominas

por Estado de Minas 18/05/2012 14:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Washington Alves/Divulgação
Com atrações para público de todas as idades, a Bienal do Livro é oportunidade para conhecer autores e ideias (foto: Washington Alves/Divulgação)
Minas Gerais é chão de muitos escritores, bem se sabe. Mas será o estado terra de bons leitores também? Os organizadores da 3ª Bienal do Livro de Minas apostam que sim. A contar pela incrementada programação do evento sediado no Expominas, em Belo Horizonte, que começa hoje e vai até o dia 27, os leitores mineiros são numerosos e se ligam a diferentes gêneros literários.

Mais de 250 mil visitantes são esperados, o mesmo número da última edição, em 2010. À escolha dos participantes, uma lista de atividades nas quais estão envolvidos 150 convidados e 160 expositores. São conversas com autores, lançamentos de livros, leituras dramáticas, encenações, papos sobre literatura, oficinas e mais opções para agradar a quem se interessa pelo universo das letras, aí contemplados também crianças e jovens.

Cinco anos atrás, o presidente da Câmara Mineira do Livro, Zulmar Wernke, não imaginava tal crescimento. Até então, o maior evento literário da capital era o salão do Livro, com participação máxima de 50 expositores. A Serraria Souza Pinto, que abrigava o Salão, foi ficando pequena para tanta gente interessada em expor e visitar a feira.

O objetivo maior, diz o presidente, é criar estímulos para o encontro do leitor com a literatura. “A feira é um ambiente mágico, onde as pessoas, até mesmo de forma sensorial, se sentem envolvidas pela leitura. Você tem que repassar um livro para uma criança ou um adulto dentro de um ambiente de desafio, curiosidade e encanto. Só apinhar de livros as bibliotecas não adianta.”

Os realizadores da Bienal, a Câmara Mineira do Livro e a empresa Fagga, privilegiaram autores do cenário nacional em um encontro voltado para o público consumidor mineiro, diferentemente, por exemplo, de feiras como a Festa Literária Internacional de Parati (Flip), que opta por um megaevento com escritores internacionais e visitantes de fora da cidade. Mais que um evento de mídia, a proposta é valorizar o leitor e os escritores.

Com a orientação geral de atrair escritores e artistas já conhecidos do público, foram escalados curadores – especialistas em suas áreas – para compor a programação da Bienal de BH. Assim, montou-se um painel variado de convidados com nomes como Amyr Klink, Fernando Morais, Juan Pablo Villalobos, Míriam Leitão, Eliane Brum, Zuenir Ventura, Fabrício Corsaletti e Maurício Kubrusly, entre muitíssimos outros. Neste ano, os escritores Bartolomeu Campos de Queirós e Carlos Drummond de Andrade serão homenageados com ações ao longo do encontro.

A programação começa cedo e vai até fim do dia, sempre tentando não agendar duas atividades para o mesmo horário, explica a gerente-geral da Bienal, Paula Jovine. “Nós nos preocupamos muito em criar uma programação com foco em diversos públicos, inclusive incrementando o que já vínhamos fazendo. Na parte infantil temos o Mundo dos Livros, espaço para contação de histórias e outras apresentações; e anexo a ele instalamos a Biblioteca Mirim, porque sentimos que as crianças saem de lá muito interessadas.”

Bienal do Livro de Minas
» De 18 a 27 de maio
» Expominas-Avenida Amazonas, 6.030, Gameleira
» Dia 18 de maio: das 12h às 22h; de segunda a sexta-feira, das 9h às 22h; sábados e domingos, das 10h às 22h
» Ingressos: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia-entrada). Integrantes do Clube A do Estado de Minas têm 20% de desconto (apresentar documento com foto e o cartão azul, prata ou ouro na entrada do evento)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS