Forma mais antiga de arte mural é descoberta na França

Pedra de 1,5 toneladas descoberta em 2007 adornava o interior de refúgio de caçadores

por AFP - Agence France-Presse 15/05/2012 16:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP PHOTO/James DiLoreto and Donald Hurlbert
(foto: AFP PHOTO/James DiLoreto and Donald Hurlbert)
Um bloco maciço de pedra calcária na França contém o que os cientistas acreditam ser a primeira forma de arte mural conhecida, feita há 37 mil anos, revela um estudo publicado na última segunda-feira, 14, nos Estados Unidos. A pedra de 1,5 tonelada foi descoberta pela primeira vez em 2007, em Abri Castanet, um conhecido sítio arqueológico do sudoeste da França, que alberga algumas das primeiras formas de arte. Segundo o professor de antropologia da New York University, Randall White, principal autor do artigo publicado nos Anais da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS), esta obra de arte provavelmente adornava o interior de um refúgio para caçadores de renas. "Decoraram o local onde viviam, onde faziam suas atividades diárias", disse White à AFP. As imagens vão desde pinturas de cavalos a desenhos de vaginas, em uma faixa de 1,5 metro a dois metros na pedra, ao alcance dos caçadores. O trabalho é menos sofisticado que as elaboradas pinturas de animais encontradas na gruta de Chauvet, na França, de difícil acesso e com idade estimada entre 30 mil e 36 mil anos. "Esta arte (em Castanet) é mais tosca e primitiva em seu estilo (...) e parece ser um pouco mais antiga que as famosas pinturas de Chauvet, no sudeste da França", disse White ao citar as pinturas rupestres descobertas em 1994. "Mas ao contrário das pinturas de Chauvet, que estão a grande profundidade na gruta e distante dos locais onde transcorria a vida diária, os desenhos e pinturas em Castanet são diretamente relacionados ao cotidiano, como é possível verificar por ferramentas, fogueiras, ossos e utensílios encontrados no local". Apesar das diferenças, os arqueólogos acreditam que os artistas de Chauvet e Castenet são da mesma cultura, a dos primeiros humanos modernos na Europa, que se desenvolveu há 40 mil anos. "Os primeros humanos modernos na Europa eram mais ou menos como nós, como os humanos de hoje", disse White. "Tinham identidades sociais relativamente complexas que expressavam através de ornamentos pessoais, e desenvolveram escultura e artes gráficas".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS