A passagem do tempo e a vida em família são enfocadas em Por parte de pai, do grupo Atrás do Pano

Peça é adaptada do livro de Bartolomeu Campos de Queirós

por Thaís Pacheco 03/05/2012 09:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Guto Muniz/Divulgação
A atriz Antônia Claret interpreta o menino Antônio, que vive durante a infância na casa dos avós, no espetáculo Por parte de pai (foto: Guto Muniz/Divulgação)
A montagem de Por parte de pai, que vem sendo criada há dois anos pelo grupo Atrás do Pano, contou com o apoio do autor do livro, Bartolomeu Campos de Queirós , morto em janeiro deste ano. A companhia teve algumas reuniões com o escritor, mas sem grandes interferências dele. “Bartolomeu era muito democrático, dizia que quando chegava na mão do leitor, a obra já não era mais dele. Foi como um presente que nos deu e com muita liberdade”, lembra um dos atores, Paulo Thielmann. Por parte de pai mostra o olhar de uma criança sobre o mundo. Antônio vive parte de sua infância na casa dos avós, como quem lê um livro de memórias. “São imagens poéticas, que retratam o cotidiano de uma pacata cidade do interior. É a história de vida de uma criança na casa dos avós, em outro tempo e ritmo, com lirismo e uma coisa bucólica. Ao mesmo tempo, ele percebe dores, inquietações, a passagem do tempo e a chegada da morte”, resume Thielmann. O ator lembra que o livro é muito trabalhado nas escolas, exatamente por falar de valores familiares e sociais, numa época em que as famílias estão muito transformadas. Trazer esse tema à tona era um dos objetivos do grupo. “Esse avô da história observa a vida da cidade pela janela. Vê o cotidiano e vai escrevendo na parede de casa. Como se fosse uma crônica, registra tudo. O licenciamento poético por parte desse avô é muito grande”, conta Paulo. Por parte de pai é um autobiográfico. Bartolomeu, de fato, via o avô paterno escrevendo nas paredes de casa. “Tudo tem a ver com o próprio escritor, que aprendeu a lidar com as palavras por meio dessa experiência”, aposta Thielmann. A dramaturgia, assinada por Carlos Rocha, recebeu apoio do elenco. Carlos escrevia as cenas e enviava ao grupo, que tinha liberdade para recriar. Foram realizados laboratórios e workshops cênicos sob a supervisão do diretor ou conduzidos e propostos pelo próprio grupo. “Foi um processo bem colaborativo, feito por atores criadores” diz Paulo. Sob direção de Epaminondas Reis, o elenco traz no papel do menino Antônio a atriz Antônia Claret. Estão ainda no elenco, além de Paulo, Myriam Nacif e Guida Coelho. A peça, é bom frisar, não é infantil, e sim direcionada aos adultos. “A obra do Bartolomeu é universal. Sempre foi rotulada como literatura infantojuvenil, mas há controvérsias em torno disso. É uma linguagem simples, porém poética, e a profundidade da obra não é para crianças. Ele dizia que não escrevia para crianças, mas sim pela criança”, afirma Paulo. Mudança de foco O grupo Atrás do Pano, criado em 1981, tem trilhado seu caminho pela arte, educação e teatro infantojuvenil. Foi criado para ser teatro de bonecos e acabou exercendo trabalho mais reconhecido no teatro de rua. São experiências com jogos, brincadeiras e uma linha de pesquisa que se desenvolve por meio do resgate da oralidade e da cultura popular. Agora, o grupo muda esse foco e busca outro público. “O Atrás do Pano conhece o público infantil. Trabalhamos muito com isso. Então, nessa mudança para o teatro adulto, em vez de escolher Nelson Rodrigues, optamos por fazer teatro adulto falando pela boca e pela alma de uma criança”, define Paulo Thielmann. Amadurecimento. Essa é a resposta de Paulo para essa mudança. Mas isso não significa abandonar toda a pesquisa e conhecimento adquiridos nos últimos 31 anos. Mesmo focados na atual montagem, e ainda sem definir o próximo trabalho, eles já têm algumas ideias dos próximos caminhos. “Talvez um cordel. Estamos investigando uma forma de retornar ao popular. Essa peça é mais intimista e densa, diferente do lúdico, que é característica do Atrás do Pano”, explica o ator. Por parte de pai Montagem do grupo Atrás do Pano, em cartaz amanhã e sábado, às 20h30, e domingo, às 19h, no Espaço do Grupo Atrás do Pano, Rua Dr. Lund, 632, Bairro Ouro Velho, Nova Lima. Entrada franca, sujeita à lotação da casa. Informações e reservas: (31) 3542-8739.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS