Bienal do livro começa dia 18 com novidades e números animadores

Ingressos vão custar mais barato, investimento cresceu e a expectativa é de que os visitantes cheguem a 250 mil

por Thaís Pacheco 03/05/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Fagga/divulgação
Sandra Bittencourt promete atrações que envolverão toda a família (foto: Fagga/divulgação)
Começa dia 18 a Bienal do Livro de Minas Gerais, no Expominas. O evento chega com novidades e com algumas diferenças em relação à edição passada. A primeira delas é o preço dos ingressos. Em 2010, custavam R$ 8 durante a semana e R$ 15 no fim de semana. Desta vez, custarão R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia-entrada) todos os dias. A Bienal vai até dia 27. Nessa edição o Clube A Estado de Minas dará 20% de desconto no valor do ingresso para assinante e acompanhante. 
Outra diferença são os números. De acordo com a gerente geral do evento, Paula Jovine, este é um ano de recordes. “Reunimos investimentos de R$ 4,3 milhões e esperamos receber 250 mil pessoas, sendo 46 mil alunos da visitação escolar, cadastro que lotou em apenas três dias”, conta. Paula ainda espera gerar negócios que atinjam mais de R$ 13,6 milhões e avisa que vai receber 150 convidados, entre autores, atores e mediadores.
O grande homenageado será o escritor mineiro Bartolomeu Campos de Queirós, morto em janeiro deste ano. A obra dele estará disponível para leitura no local, será contada para as crianças e até interpretada para os adultos. Outro homenageado será o poeta Carlos Drummond de Andrade, pelos 110 anos do nascimento e 25 de morte.
Com o objetivo de agradar a gregos e troianos e, também, promover diversos interesses, a Bienal chamou oito curadores, cada um responsável por um espaço diferente, que se organizaram por temas e, a partir deles, selecionaram autores convidados. Entre eles, os escritores Luiz Ruffato, Carlos Alberto Sardenberg, Fabrício Carpinejar, Pedro Bandeira, Thalita Rebouças e os mineiros como Carlos Herculano Lopes e Léo Cunha.
Ecletismo Uma das atrações mais badaladas da edição passada, que volta esse ano, é o Café literário, com curadoria de Afonso Borges, organizador do Sempre um papo. “Pensamos em inovação e diversidade na escolha dos temas e autores. Não é uma programação acadêmica, focada em poucos. É eclética, para fazer com que as pessoas se interessem e realmente queiram participar”, diz Afonso Borges.
Os autores independentes que produzem em Minas também terão espaço. Por meio de seleção realizada pela Câmara Mineira do Livro, uma das organizadoras do evento, 45 autores foram selecionados. “Tem uma demanda muito grande de fora, que rejeitamos, às vezes até com certa antipatia, porque nem o mineiro que mora em São Paulo, por exemplo, conseguiu entrar. Isso porque tivemos de colocar algumas regras para dar certa ordem. Queríamos também que fosse um conteúdo um pouco literário, se alinhasse com os focos e o interesse da Bienal, que é promover também a leitura de construção. Foram 45 selecionados e mais de 150 inscritos”, explica Zulmar Wernke, presidente da entidade.
Além dos 160 expositores, a grande atração da bienal são os espaços culturais.
 
AS ATRAÇÕES 
 
» Bienal em quadrinhos
Curador: Afonso Andrade, que foi curador e coordenador do FIQ BH: “Teremos palestras, lançamentos e vamos oferecer ao público a oportunidade de conhecer o processo de produção dos quadrinhos. E também um quadro em branco para, a cada dia, quadrinistas desenharem. No encerramento, será uma exposição.” Entre os artistas confirmados, destaque para Duke e João Marcos. O espaço também terá área para independentes. Quem quiser participar deve se informar no www.bienaldolivrominas.com.br.
» Café literário
Curador: Afonso Borges, coordenador do Sempre um papo: “Para montar a programação, me imaginei entrando em uma livraria, separada por temas. Por isso, teremos temas como filosofia, com a presença de Márcia Tiburi, economia, com Miriam Leitão, ou espiritualidade, com Patrycia Travassos”, diz. No Café literário serão recebidos 27 autores, com debates mediados por 14 autores mineiros.
» Goleada literária
Curador: Bob Faria, comentarista esportivo e apresentador de TV. As discussões serão relacionadas ao futebol, com exposição de livros e bate-papos entre autores, jornalistas esportivos e personalidades relacionadas ao mundo do futebol. Entre os nomes já confirmados, Gustavo Poli, Paulo César Vasconcellos e Rogério Corrêa.
 
» Livro encenado 
Curador: Carlos Gradim, ator, diretor e gerente executivo do Circuito Cultural Praça da Liberdade: “Escolhemos quatro temas: amor, morte, ódio e felicidade. Cada um apresentará textos de diversos autores, como Nelson Rodrigues (que estará em todos eles), Lúcio Costa, Bartolomeu Campos de Queirós, Clarice Lispector e outros, encenados pelos atores Murilo Rosa, Arlete Sales, Milton Gonçalves e Antônio Calloni.”
» Mundo dos livros
Curadora: Sandra Bittencourt, escritora e contadora de histórias: “Teremos uma contadora de histórias em libras, programação especial para o pessoal da EJA, e a constante preocupação com a família. Durante a semana, receberemos alunos com professores, mas nos fins de semana queremos colocar atrações para a família toda.” Além de contadores de histórias, música e teatro ocuparão o espaço.
» Praça Drummond de poesia
Curador: Wilmar Silva, diretor do Terças poéticas: “É uma homenagem a Drummond com performances. O maestro Andersen Viana vai mostrar um Drummond antenado na música erudita; o poeta Wallace Armani, poliglota, recitará poemas traduzidos para outras línguas; e a atriz Helena Soares fará performance circense. O objetivo é atualizar Drummond, sem perder sua origem.” Essa programação vai do dia 21 ao 24. 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE E-MAIS