Festival Varilux traz ao Brasil diversidade da produção cinematográfica francesa

Nas próximas duas semanas serão 19 filmes exibidos em 56 cidades brasileiras, três delas em Minas

por Mariana Peixoto 08/06/2017 08:00
Mares Filmes/DivulgaÇÃO
A diva Catarine Denueve está em dois filmes: O reencontro e Duas mulheres românticas (foto: Mares Filmes/DivulgaÇÃO)
Tradicionalmente, a França ocupa o segundo lugar em lançamentos estrangeiros nas salas do Brasil – perde apenas para os Estados Unidos. De 2009 a 2015, um total de 250 produções francesas chegaram ao circuito comercial brasileiro, segundo dados da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Boa parte desses filmes foi vista antes no Festival Varilux de Cinema Francês, que há oito anos atua como trampolim de lançamentos daquele país.

Hoje, o Festival Varilux dá início à sua maior edição. Nas duas próximas semanas, 19 filmes – 18 deles inéditos – serão exibidos em 56 cidades brasileiras. Em Minas, o festival será apresentado em Belo Horizonte, Juiz de Fora e Caxambu. Na capital mineira serão 152 sessões, divididas entre os cines Belas Artes, Ponteio, Cinemark Pátio Savassi e o MIS Santa Tereza.

“O Varilux é um festival de apoio à presença do cinema francês no Brasil. Não temos como objetivo trazer todo o leque de opções, ainda mais porque são 300 filmes por ano (produzidos na França). O que tentamos é, através de uma seleção bem pensada, simplificar a vida do público, reunindo um menu interessante”, afirma o diretor do evento, o francês naturalizado brasileiro Christian Boudier.

Para dar mais visibilidade às produções, o evento traz uma delegação de atores e diretores franceses. Oito deles desembarcam no Brasil nesta semana, entre eles o ator Damien Bonnard, protagonista de Na vertical. Exibido na seleção oficial do Festival de Cannes de 2016, o longa de Alain Guiraudie conta a história de um jovem cineasta que é abandonado pela mulher com o filho recém-nascido. Bonnard vem a BH para participar de debate após a sessão do filme neste domingo (no Cine Belas Artes) e na segunda (no Cine Ponteio).

Neste ano, a seleção do evento engloba os filmes mais recentes de Gérard Depardieu, Juliette Binoche e Marion Cotillard. Muitos dos selecionados circularam neste ano por festivais internacionais. Rodin, de Jacques Doillon, estreou no mês passado no Festival de Cannes. Frantz, de François Ozon, esteve nas seleções dos festivais de Sundance, Toronto e Veneza.

MULHERES
A presença feminina é grande. Sete longas são dirigidos por mulheres. E boa parte das produções ainda traz protagonistas femininas. A veterana Nicole Garcia, por exemplo, dirige Marion Cotillard no drama Um instante de amor, sobre uma jovem infeliz em um casamento arranjado. Marion, por sinal, também está no elenco de Rock’n’roll – Por trás da fama. O filme dirigido e protagonizado por seu marido, Guillaume Canet, apresenta os dois atores como eles próprios, numa comédia satírica sobre a fama.

Catherine Deneuve é outro nome que aparece duas vezes na programação do festival. O Varilux vai exibir o filme mais recente da atriz, O reencontro, e também outro, que está completando 50 anos. Na comédia musical Duas garotas românticas, clássico de Jacques Demy em que Deneuve atuou ao lado da irmã, Françoise Dorléac. No filme, as duas também vivem irmãs, que estão à procura do amor. Um ano de idade separava as atrizes. Mais velha, Françoise morreu num acidente de carro três meses após o lançamento de Duas garotas românticas.

Treze das 19 produções do Varilux chegam ao circuito comercial nos próximos meses (confira quadro nesta página). No entanto, há filmes que serão vistos exclusivamente no festival, como o documentário Amanhã, vencedor do César (o Oscar francês) no ano passado. “Lançar hoje um filme independente no cinema é um risco grande. Como o festival tem bom público e um mesmo filme faz várias sessões, apresentar um longa no evento é quase uma distribuição”, diz Boudier. Por causa do número de cidades participantes, um só filme é exibido, em média, 300 vezes ao longo das duas semanas do festival.

A programação completa está disponível no site variluxcinefrances.com/2017.

18 INÉDITOS E UM CLÁSSICO
Veja os filmes participantes do festival

» Uma agente muito louca, de Dany Boon, com Dany Boon, Alice Pol e Michel Blanc
Comédia. Primeira mulher a entrar na tropa de elite da polícia francesa tem que lidar com um parceiro misógino.

» Amanhã, de Cyril Dion e Mélanie Laurent Documentário. Trabalho de pessoas comuns que atuam em projetos que visam um mundo melhor.

» Na cama com Victoria, de Justine Triet, com Vincent Lacoste, Virginie Efira e Melvil Poupaud
Comédia dramática. Vida de uma advogada sofre reviravolta quando ela encontra dois homens em um casamento

» Coração e alma, de Katell Quillévéré, com Tahar Rahim, Emmanuelle Seigner e Anne Dorval
Drama. Acidente acaba reunindo a vida de três pessoas

» Uma família de dois, de Hugo Gélin, com  Omar Sy, Clémence Poésy, Antoine Bertrand
Comédia dramática. Homem decide criar sozinho sua filha biológica. Muitos anos mais tarde, a mãe da menina reaparece para tentar recuperá-la. Estreia: 29 de junho

» O filho uruguaio, de Olivier Peyon, com Isabelle Carré, Ramzy Bedia, Maria Dupláa
Drama. Mulher viaja para o Uruguai para tentar recuperar o filho, sequestrado pelo ex-marido.

» Frantz, de François Ozon, com Pierre Niney, Paula Beer, Ernst Stötzner
Drama. No final da Primeira Guerra, noivo de jovem alemã morre na França. Ela encontra no local um misterioso francês que visita o mesmo túmulo. Estreia: 22 de junho

» Um instante de amor, de Nicole Garcia, com Marion Cotillard, Louis Garrel, Alex Brendemühl
Drama. No fim da Segunda Guerra, mulher solteira é obrigada a se casar com um viúvo. Infeliz, ela se envolve com um militar casado. Estreia: 29 de junho

» Perdidos em Paris, de Fiona Gordon e Dominique Abel, com Fiona Gordon, Dominique Abel, Emmanuelle Riva
Comédia. Bibliotecária que vive no Canadá vai a Paris tentar encontrar a tia idosa. Chegando lá, descobre um sem-teto que vai ajudá-la em sua busca. Estreia: 6 de julho

» Um perfil para dois, de Stéphane Robelin, com Pierre Richard, Yaniss Lespert, Fanny Valette
Comédia romântica. Idoso se apaixona por mulher jovem que conheceu num site de namoro. Estreia: 19 de outubro

» O reencontro, de Martin Provost, com Catherine Frot, Catherine Deneuve, Mylène Demongeot
Comédia dramática. Parteira recebe a visita inesperada da ex-mulher de seu pai. Estreia: 27 de julho

» Rock’n roll – Por trás da fama, de Guillaume Canet, com Guillaume Canet, Marion Cotillard, Gilles Lellouche
Comédia. Aos 43 anos, o cineasta e ator Guillaume Canet ouve de uma repórter que está ultrapassado. Decide provar que continua tão descolado quanto antes, contando com a ajuda da namorada, Marion Cotillard. Estreia: 7 de setembro

» Rodin, de Jacques Doillon, com Vincent Lindon, Izia Higelin, Séverine Caneele
Drama. Relato do famoso caso de amor do escultor Auguste Rodin com a artista Camille Claudel. Estreia: 16 de novembro

» Tal mãe, tal filha, de Noèmie Saglio, com Juliette Binoche, Camille Cotting, Lambert Wilson
Comédia. Mãe (despreocupada e aventureira) e filha (responsável e organizada) engravidam ao mesmo tempo. Estreia: 20 de julho

» Tour de France, de Rachid Djaïdan, com Gérard Depardieu, Sadek e Louise Grinberg
Comédia dramática. Jovem rapper é forçado a deixar Paris e vai viver com o pai, homem decidido a seguir os passos do pintor francês Joseph Vernet. Surge uma amizade improvável. Estreia: 13 de julho

» Na vertical, de Alain Guiraudie, com Damien Bonnard, India Hair, Christian Bouillette Drama. Homem se vê obrigado a criar, sozinho, o filho recém-nascido. Estreia: 22 de junho

» A viagem de Fanny, de Lola Doillon, com Cécile de France, Léonie Souchaud, Fantine Harduin
Drama. Na França ocupada, garota de 12 anos é obrigada a fugir com grupo de crianças. Estreia: 10 de agosto

» A vida de uma mulher, de Stéphane Brizé, com Judith Chemla, Jean-Pierre Darroussin e Yolande Moreau
Drama. Jovem simples se casa com nobre que acaba se revelando um homem infiel e avarento. Estreia: 13 de julho

» Duas garotas românticas, de Jacques Demy, com Catherine Deneuve, Françoise Dorléac e Danielle Darrieux
Comédia musical. Completando 50 anos, o filme conta a história de duas irmãs de 25 anos que sonham encontrar o amor.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA