Keanu Reeves estrela '47 ronins', trama que se passa no Japão do século 18

Filme do diretor Carl Erick Rinsch mescla fantasia e realidade

por Walter Sebastião 31/01/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Universal Studios/Divulgação
(foto: Universal Studios/Divulgação)
'47 ronins' é a estreia na direção em longa-metragem de Carl Erik Rinsch, de 33 anos. Está na tela história inspirada em relato real: um grupo de samurais, no Japão do século 18, quebra rígido código de obediência e assassina autoridade que levou o líder deles a se suicidar por ter agredido alto funcionário judicial. Depois da ação, todos se entregam à Justiça. Como é filme de fantasia, entraram no grupo um mestiço, Kai (Keanu Reeves), filho de ocidental com japonesa, bruxas, magia, criaturas fantásticas etc.

Veja mais fotos do filme


Confira os horários das sessões em 2D

Horários das sessões em 3D


Boa história, bons personagens, embalados por belas paisagens, romantismo, efeitos especiais interessantes. Tudo como recomenda o padrão Hollywood. Mas manuseado de forma harmônica, sintética e com gosto, por diretor que tem fama de ser craque na mistura entre o real e o fantástico. O único elemento que destoa é a música, grandiloquente, induzindo ao melodrama, o que filme evita (há informações de que produtores interferiram no longa, impondo mudanças e até excluindo um personagem).

Forte é a atuação do elenco japonês. Pode parecer irônico destacá-los em filme com história japonesa e ambientada no Japão. Mas, no geral, o que se vê no cinema comercial norte-americano são atores “transformados” (de modo cômico e até caricatural) em tipos das mais diversas etnias. Ter atores japoneses reduz (na medida do possível) tendência incurável do estereótipo e, ao mesmo tempo, fortalece a trama, a medida em que cria empatia e distanciamento com o mostrado.

47 ronins não empolga, mas seduz e diverte. E até faz pensar, o que nem é objetivo do filme. Surpreendente é a desenvoltura com que Carl Erik Rinsch comanda imersão em mundo de fantasia. Com naturalidade, direção contida, move-se rente ao que a história e os personagens oferecem. E sendo fiel à fantasia cria filme de muitos significados sem malabarismos dramatúrgicos ou busca de similitudes com o mundo real.

CURIOSIDADE 47 ronins tem a presença de cinco atores japoneses: Hiroyuki Sanada, Tadanobu Asano, Rinko Kikuchi, Kô Shibasaki e Jin Akanishi. Keanu Reeves também andou contando que as filmagens ocorriam sempre primeiro em língua japonesa e depois em inglês, para facilitar a compreensão dos atores coadjuvantes. Opção feita buscando transmitir autenticidade ao espectador. O filme é a sétima adaptação para o cinema da história que é mito nacional do Japão e a primeira de Hollywood. Os anteriores foram A vingança dos 47 ronins (1941), Chûshingura (1958), Os vingadores (1962), Akô-jô danzetsu (1978), Shijûshichinin no Shikaku (1994) e Saigo no Chûshingura (2010).

SAIBA MAIS

O DIRETOR

Carl Erik Rinsch é norte-americano, têm 33 anos, nasceu em Los Angeles (EUA). Aos 14 anos, fez seu primeiro filme, financiado pelos pais, o curta The quiz. Que foi apresentado em vários festivais de cinema. Estudou arte na Universidade de Brown, em Rhode Island. Enquanto estava na faculdade, trabalhou como fotojornalista para a revista Rolling Stone. É celebrado diretor de comerciais.

Assista ao trailer do filme:



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA