Sob nova direção, Cine Belas Artes terá um ano de mudanças

O cineasta Helvécio Ratton assume a direção artística do Belas Artes

por Carolina Braga 08/01/2014 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Juarez Rodrigues/EM/D. A Press
Helvécio Ratton (foto: Juarez Rodrigues/EM/D. A Press)
Apesar da dança das cadeiras na administração do Cine Belas Artes, o único cinema de rua de Belo Horizonte mantém-se como reduto independente da produção de arte do Brasil e do mundo. Sob nova direção desde o início de 2014, o espaço terá um ano de mudanças. A primeira delas é a saída de Pedro Olivotto da administração e a chegada do grupo Espaço de Cinema, com Helvécio Ratton como diretor artístico e Adhemar Oliveira como responsável pela programação. O principal esforço da nova equipe será pela atualização das três salas na Rua Gonçalves Dias.

“Montamos uma estrutura para tocar a reforma em busca de modernizar, aumentar o conforto e digitalizar. Já começamos a ter filmes que só são distribuídos em digital. É o caso do 'Ninformaníaca', do Lars von Trier”, explica Adhemar. A nova produção do diretor de 'Melancolia', chegará ao Brasil apenas em salas equipadas com o DCP (Digital Cinema Package).

A estimativa é de um investimento de cerca de R$ 600 mil para a atualização do sistema de projeção. De acordo com Adhemar, estudos arquitetônicos já estão em andamento e não será necessário paralisar a programação para a reforma. A ideia é manter a agenda de filmes de Belo Horizonte equiparada com São Paulo e Rio de Janeiro. “Vamos colocar em ordem, mesmo que tenha que passar pelo menos uma sessão de cada filme por dia”.

O estilo dos filmes permanecerá o mesmo. “A tendência é de permanecer nesse universo do filme independente e com atenção à produção nacional, ao documentário e às animações, mas dentro do mercado independente”, afirma Adhemar Oliveira.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA