Giffoni Film Festival ganha 1ª edição brasileira

Versão nacional da mostra que acontece em São Paulo tem o amor como temática. Evento visa divulgar o cinema infantojuvenil

por Agência Estado 29/01/2013 15:54

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
Quarenta e dois anos de história, centenas de filmes exibidos, em países como Itália, Austrália, EUA, Polônia, Albânia, Qatar, para milhares de espectadores jovens, em sua maioria de 12 a 17 anos, na companhia de grandes nomes do cinema mundial como Susan Sarandon, Nicolas Cage, Robert de Niro, Jean Reno, entre outros, que já passaram por lá. E para completar, tem também a tarefa de julgar e eleger os melhores do maior festival de cinema dedicado ao público infantojuvenil. Esse é o Giffoni Film Festival, que nasceu em 1971 na cidade italiana de Giffoni Valle Piana, no Sul da Itália, e já se expandiu para diversos continentes. Mais que exibir, o evento tem a tradição de formar plateias qualificadas e com o olhar atento para o que de mais arrojado vem ocorrendo no mundo do cinema.

Giffoni, que surgiu da vontade de seu criador e diretor Claudio Gubitosi de criar algo para as mentes jovens e criativas, ganha agora sua edição brasileira. Com o tema 'Amor', o Giffoni Film Festival Brasil começou nesta segunda-feira no Memorial da América Latina e segue até sexta-feira. "É uma grande satisfação poder trazer este evento ao Brasil. Sou italiano, cinéfilo de carteirinha e adoro o País, que escolhi para viver. Poder juntar essas paixões em um festival como o Giffoni é um privilégio", comenta Marco Scabia. Diretor da Mix Maker Entretenimento e Esporte do grupo Mix Brand Experience, é ele o responsável pela realização do festival no país. "É oportunidade única para o Brasil se estabelecer no universo do cinema juvenil. Não existe aqui nada que se aproxime do conceito do GFF."

Para Gubitosi, que veio a São Paulo para a ocasião, este é um momento especial não só para o festival que criou, mas também para o País. "Este festival tem como uma de suas prioridades extrapolar as fronteiras e entrar em contato direto com a realidade local. Na sua longa história, já envolveu 52 nações, mas dividir a experiência com o Brasil, no momento em que o País passa por um crescimento econômico e cultural sem precedentes, é um dos passos mais importantes dos últimos anos para nós.”

Scabia concorda e aposta no interesse do jovem brasileiro para o sucesso desta primeira edição, que conta como jurados um grupo de 400 jovens de diversos países, incluindo Brasil, Itália, Venezuela, Bielo-Rússia, Coreia do Sul, Albânia, Hungria, Armênia, México, África do Sul e Espanha. "A formação de público é crucial em uma indústria cultural como o cinema. Mais que entreter, o Giffoni tem papel de fomentar plateias futuras, que consomem e também pensam a arte", completa Scabia.

Para cumprir a missão, o Giffoni Brasil conta com a participação de profissionais brasileiros, que trocarão experiências com o público. Destaque para a palestra que o diretor Luiz Villaça, de 'O contador de histórias', dará na quinta-feira, às 16h30. O ator Felipe Camargo participa de bate-papo após a sessão de 'Xingu', na quarta, às 15 horas. Bruno Mazzeo e Denise Fraga também estão entre os convidados.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA