No"> No" /> No" />

"Pensar em ganhar o Oscar seria ridículo", diz diretor de No

Longa de Pablo Larraín compete com o francês Amor na categoria Melhor Filme Estrangeiro. Produção de Michael Haneke é grande favorito

por AFP - Agence France-Presse 10/01/2013 14:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

AFP PHOTO / ANDREW COWIE
"O mais provável é que o prêmio vá para as mãos do austríaco Michael Haneke, diretor do filme austríaco Amor", afirmou o diretor chileno (foto: AFP PHOTO / ANDREW COWIE )
"Pensar em ganhar o Oscar seria ridículo", afirmou o chileno Pablo Larraín, diretor do filme No, indicado nesta quinta-feira, 10, para disputar o Oscar de melhor filme estrangeiro.


"O mais provável é que o prêmio vá para as mãos do austríaco Michael Haneke, diretor do filme austríaco Amor", acrescentou Larraín, falando à imprensa local. "É preciso ser objetivo. Esse filme (Amor) é uma montanha. É enorme, muito sólida, brilhante", afirmou o diretor chileno.


No, que fala a campanha publicitária do plebiscito que, em 1988, terminou com a candidatura de Augusto Pinochet e é protagonizada pelo ator mexicano Gael García Bernal, é o primeiro filme chileno indicado ao Oscar.


Além de competir com Amor, No enfrenta o dinamarquês A Royal Affair, o norueguês Kon-Tiki e o canandense War Witch.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA