Dia de agenda cheia em BH

06/12/2012 09:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Artur de Leos/Divulgação
O cineasta Fernando Libânio filmou o média-metragem A música audaz de Toninho Horta (foto: Artur de Leos/Divulgação)
Dois destaques na agenda dos espaços alternativos de cinema de hoje. Às 20h, no Cinema Professor José Tavares de Barros do Sesc Palladium (Av. Augusto de Lima, 420, Centro), será exibido em sessão comentada, com entrada franca, o documentário de média-metragem A música audaz de Toninho Horta. Com depoimentos de artistas como Milton Nascimento e Wagner Tiso, o filme foi dirigido por Fernando Libânio e é coprodução entre Acanga Filmes e Terra dos Pássaros Produções. Fernando Libânio é cineasta e fotógrafo e atua há mais de 15 anos no mercado mineiro de cultura. Informações: (31) 3279-1500.


Mais cedo, às 19h30, a sessão Supertela do Museu das Minas e do Metal – EBX exibe A vida em um dia (EUA e Reino Unido, 2011, 90min), de Kevin Macdonald. O filme é resultado da parceria entre a Scott Free UK, dos produtores Ridley e Tony Scott, e o YouTube e foi realizado por internautas de 192 países. A sessão do MMM (Praça da Liberdade s/nº – Prédio Rosa) tem entrada franca. Informações: (31) 3516-7200 e 3516-7207.

Oficina A Fundação Clóvis Salgado (FCS), por meio do Programa Educativo em Artes Visuais, promove hoje, com entrada franca, a oficina “Videoarte: entre a história e o experimental”. Com foco nos professores das redes pública e particular de ensino e educadores com atuação em instituições de ensino não formal, a Gerência de Artes Visuais da FCS pretende gerar subsídios para o debate e a experimentação artística nas salas de aula. As atividades serão dirigidas pelo professor convidado André Hallak e serão realizadas na Sala de Educação Continuada, no Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537, Centro), das 9h30 às 18h (intervalo das 14h às 18h).


A proposta da oficina é que seja realizado um percurso pelos campos da produção da imagem eletrônica a partir de exibições e discussões de trabalhos audiovisuais contemporâneos e de experimentos audiovisuais com a utilização de equipamentos digitais, como câmeras e computadores. Propõe-se, a partir dessas atividades, a criação de procedimentos didáticos para a disseminação do conteúdo criado para a sala de aula. André Hallak é mestre em artes pela Escola de Artes Visuais da UFMG, onde desenvolveu investigação sobre a relação entre arte contemporânea e o vídeo documentário.
Informações: artesvisuais@fcs.mg.gov.br.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA