Festival Latino 2012 promove intercâmbio entre os cinema brasileiro, espanhol e latino-americano

Mostra começa sexta-feira em Belo Horizonte com exibição de filmes e debates

por Sérgio Rodrigo Reis 21/11/2012 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Sogepaq/Divulgação
O filme espanhol Azul escuro casi negro, do diretor Daniel Sánchez Arévalo, é uma das atrações do Latino 2012 (foto: Sogepaq/Divulgação)
 

O Brasil ainda não dá a devida importância e não conhece a cultura dos povos vizinhos. A produção literária, as artes plásticas, as manifestações populares, a música e até o cinema passam despercebidos ano após ano por aqui devido à grande dependência da indústria cultural norte-americana e, em menor grau, de alguns poucos países europeus. Em raras ocasiões, ensaios de aproximações são realizados, comprovando as muitas afinidades. O Latino 2012 – 2ª Mostra de Cinema Espanhol e Latino-americano de Belo Horizonte, a partir de sexta-feira, nas salas do Espaço Usiminas Belas Artes, é mais uma ação para tentar reverter o quadro. Leia também:

 

Começa Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte

Serão exibidos gratuitamente, até o dia 29, com legendas em português, mais de 100 sessões de filmes, a maioria inédita na capital, num rico painel de histórias, temáticas, cenários e questões que afligem e movimentam os países vizinhos. Como existe um parentesco cultural entre os latinos e os espanhóis, ambas cinematografias estarão representadas no evento, que terá ainda agenda de palestras, exposição e um concurso cultural de crítica cinematográfica. A aposta é na diversidade de linguagens e nas estéticas dos diferentes povos, inclusive do Brasil. Realismo no cinema espanhol dos anos 50, Terror pop, Novos autores, Cinema em construção, Gay espanhol – Universo lésbico e Nacional brasileiro são alguns dos temas que nortearam o festival. Haverá ainda espaço para homenagens. No domingo, em sessões às 16h e às 19h45, serão exibidos filmes de animação sobre o personagem de quadrinhos Cuttlas, criado pelo desenhista espanhol Calpurnio. Já no dia 28, em sessões às 19h45, 21h e 21h30, vai ser a vez de a atriz argentina Ana Katz apresentar a sua obra cinematográfica. “Estamos voltados de frente para o mar e de costas para a América Latina. A intenção é inverter a lógica considerando as cinematografias surpreendentes do México, Argentina e Chile”, explica Pedro Olivotto, um dos curadores. Programador com anos de experiência na capital, ele vê com bons olhos a movimentação em torno da produção dos países que falam espanhol. “Em três dias com a agenda divulgada nas redes sociais já tivemos mais de 15 mil retornos. O interesse é crescente, mas é fato que não estamos acostumados a nos ver como latinos. Quando assistimos aos filmes é que percebemos como somos próximos a esses povos e distantes de culturas às quais tanto queremos ser próximos”, compara. Ações como o Latino 2012 tentam contribuir para uma inversão desse panorama. O cônsul da Espanha para assuntos de educação e cultura e diretor do Instituto Cervantes em Belo Horizonte, Ignacio Martinez-Castignani, tem acompanhado de perto o processo. Há dois anos no país, já consegue perceber a inversão de valores. “O que nos une – tanto os espanhóis quanto os latinos –, é o conceito de latinidade. Trata-se de um elemento espiritual, intelectual e profundo que aproxima a Espanha da América Latina. Os cineastas, como poucos, conseguem expressar esse sentimento em suas obras.” Para o cônsul, os espanhóis têm se encontrado bastante nos países latinos e os brasileiros também deveriam abrir o coração para o mundo latino. Nesse sentido, o festival, o único do gênero no país, tem sua parcela de compromisso.

 

Cinema e canções Se comparado às várias dezenas de filmes de língua espanhola que integram a agenda do Latino 2012, o Brasil terá participação tímida no evento: serão seis produções. O documentário Como se a vida fosse música (foto), homenagem a Murilo Antunes, tem estreia dia 27, às 21h30. Conta a trajetória do poeta e compositor mineiro por meio de músicas e depoimentos. Um menino que saiu de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha, tornou-se parceiro de grandes nomes da música brasileira e construiu com versos canções que, ao longo dos anos, se tornaram trilha sonora da vida de tanta gente. A outra produção inédita é Dia de preto, dos diretores Marcial Renato, Daniel Mattos e Marcos Felipe. Será exibido dia 24, às 14h. Cenas em destaque A cultura hispânica chega a BH ainda na exposição O realismo no cinema espanhol (1951-1963), que será aberta sexta-feira e fica até 15 de dezembro no Belas Artes. São 10 fotografias de cenas marcantes de filmes produzidos em diferentes momentos: Surcos (1951), Bienvenido Mr. Marshall (1953), Muerte de un ciclista (1955), Calle Mayor (1956), El pisito (1958), La vida por delante (1958), Los Golfos (1959), El cochecito (1960), Viridiana (1961) e El Verdugo (1963). A seleção foi realizada pelo ator Antonio Banderas para o Instituto Cervantes de Nova York. Crítica em concurso O Instituto Cervantes de BH vai promover o concurso de Crítica de Cinema Latino 2012. Os participantes terão de escrever um texto em português sobre algum dos filmes exibidos pelo ciclo Realismo no cinema espanhol dos anos 50. A crítica deverá ter, no máximo, 35 linhas e o concorrente deve residir em Minas. Os textos poderão ser enviados até 3 de dezembro para avebelo@cervantes.es. Os três melhores ganharão bolsas para os cursos de espanhol. Informações: www.belohorizonte.cervantes.es

 

Programação

» Sexta Bajo las estrellas (14h), Rabia (14h15), La punta del diablo (14h30), Azul oscuro casi negro (16h), Pasajes (16h), Costa brava (16h15), Nómadas (17h40), Eloïse (18h), Los golfos (18h30), El pisito (19h30), Acácio (19h45), Onde a coruja dorme (21h10), El ataque de los muertos sin ojos (21h30) e El baño del papa (21h40). » Sábado Dia de preto (14h), Pánico em el transiberiano (14h15), Egunean (14h30), Tierra madre (15h45), Guerrilleras (16h), La vida por delante (16h45), Mira (17h15), Ladrones (17h30), Drácula contra Frankenstein (18h45), Nómadas (19h30), Viridiana (19h30), Tres dias com la familia (21h10), El verdugo (21h20) e Ibitipoca (21h15). » Domingo Girimunho (14h), La marca del hombre lobo (14h15), A pele que habito (14h20), Curtas universo lesbico (16h), Animação Calpurnio (16h), Bajo las estrellas (16h40), Onde a coruja dorme (17h30), Calle mayor (18h), Tierra madre (18h40), Abraço partido (19h), Animação Calpurnio (19h45), Rabia (19h50), El pisito (21h15), Muerte de un ciclista (21h20) e Kenia y sufamilia (21h30). Programação completa: www.usiminasbelasartes.com.br

 

2ª Mostra de Cinema Espanhol e Latino-americano De sexta-feira ao dia 29, no Usiminas Belas Artes (Rua Gonçalves Dias, 1.581, Lourdes). A entrada é franca, mas as vagas são limitadas. Haverá distribuição de ingressos 30 minutos antes de cada sessão. Informações: (31) 3789-1600.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA