Marcos Palmeira comemora a retomada da série Mandrake

Inspirado no personagem de Rubem Fonseca, o ator interpreta advogado mulherengo com depressão e crises no trabalho

por Ana Clara Brant 10/11/2012 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
HBO/divulgação
Hoje à noite, o canal pago HBO exibe a nova temporada de série estrelada por Marcos Palmeira, que terá dois episódios (foto: HBO/divulgação )

Depois do intervalo de cinco anos, o ator Marcos Palmeira voltou a vestir terno e gravata para incorporar aquele jeito charmoso de Mandrake, advogado criminalista especializado em casos de chantagem e extorsão no Rio de Janeiro. Esse personagem sedutor dá nome à nova temporada da série, que estreia hoje, às 20h, no canal pago HBO.

Dividida em duas partes de 90 minutos – a outra vai ao ar no dia 17 –, a produção conta com o elenco original: Miéle, Marcelo Serrado e Erika Mader. Também traz novos personagens, interpretados por Carlos Alberto Riccelli e Claudia Ohana.

“Mandrake voltou melhor, mais consistente. Ele tem qualidade dramatúrgica muito legal. A gente já incorporou esse universo do Rubem Fonseca e acabou sendo mais fácil o retorno. Cheguei ao set e já sabia o que o diretor José Henrique Fonseca queria. Mantivemos sintonia muito grande desde aquela época. Além disso, todos nós amadurecemos”, afirma Palmeira.

Inspirada em livros de Rubem Fonseca, Mandrake foi uma das primeiras produções da HBO na América Latina. A atração, que foi ao ar em 2005 e 2007, chegou a ser indicada ao prêmio Emmy Internacional na categoria série drama.
O especial desta noite começa numa época um pouco depois do último episódio, “Alma”. No início, o protagonista enfrenta momento difícil. Em crise com o amigo e sócio Wexler (Miéle) e sentindo falta das mulheres de sua vida, Mandrake cai em depressão e se entrega aos prazeres da noite carioca. A carreira e a vida pessoal ficam relegadas a segundo plano. As mudanças no trabalho não o agradam, mas o incentivo de Bebel (Erika Mader) e a chegada de um novo cliente, o rico empresário João Paulo Birman (Carlos Alberto Riccelli), trazem o advogado de volta à velha forma.

No fórum

Marcos Palmeira ressalta o formato inovador da atração e revela que desde o começo se encantou pelo personagem. Além de se debruçar sobre a obra de Rubem Fonseca, o ator conviveu com advogados e frequentou fóruns.
“Mandrake é um personagem muito específico. Adora charutos, vinhos, e é mulherengo. Nessa nova fase, ele aparece barbado e está em profunda depressão, com alguns conflitos. Ele cometeu um grave erro, imperdoável: se envolver com uma cliente. A série está bem interessante”, adianta o ator.

Luis F. Peraza, vice-presidente executivo de Aquisições e Produção Original da HBO Latin America, afirma que Mandrake já se tornou um clássico da HBO. Para ele, vários fatores contribuíram para o sucesso da série. Peraza admite a possibilidade de novos episódios, mas a continuação não está definida. “Temos grande entusiasmo e desejo de que isso ocorra. Estamos negociando com o próprio Marcos e com o José Henrique”, informa.

Quase cinquentão
Matheus Cabral/TV Globo
(foto: Matheus Cabral/TV Globo)
Viver Mandrake e um personagem tão popular quanto Sandro (foto), da novela Cheias de charme, é o que mais atrai Marcos Palmeira em sua profissão. O ator se prepara para completar 50 anos, em 2013. Agora, ele está às voltas com nova empreitada: a minissérie O canto da sereia (Globo), baseada no romance homônimo de Nelson Motta. As cenas já vêm sendo gravadas na Bahia.
“Isto é o bacana de ser ator: hoje sou Mandrake, ontem fui o Sandro, muito legal de fazer. Agora já estou em O canto da sereia e ainda vou estrear o filme Vendo ou alugo, no ano que vem. É sempre dinâmico e desafiador”, afirma Marcos Palmeira.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA