Festival Internacional de Cinema Infantil começa nesta quinta-feira e segue até dia 11

Mostra apresenta filmes que vão além das animações tradicionais

por Mariana Peixoto 01/11/2012 09:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Fici/Divulgação
Filme holandês dirigido por Arne Toonen, A família Trom é uma das atrações desta edição do festival (foto: Fici/Divulgação)
 

Ao lado de Brasília, Belo Horizonte recebe, a partir desta quinta-feira, o Festival Internacional de Cinema Infantil – Fici. Até 11 deste mês, serão exibidos, no Cinemark Pátio Savassi, produções em curtas, médias e longas-metragens de duas dezenas de países. O evento, criado por Carla Camurati, está completando 10 anos e já passou por outras oito cidades – esta é a nona edição em que é realizado em BH. A marca do festival, desde sua criação, é ir além da produção que chega ao circuito comercial, apresentando uma cinematografia dirigida a crianças de países que são pouco vistos nas telas brasileiras. “Neste ano, 100 filmes foram divididos em 10 cidades. Para Belo Horizonte trouxemos 35 produções”, afirma Tatiana Rubim, que realiza a produção local do Fici. “O festival amplia as experiências do público infantil, que está mais acostumado com animação do que com formas humanas. Há filmes que se libertam disso, exibem uma animação mais aquarelada, com trilha sonora baixa. E tudo modifica a emoção da criança”, continua Tatiana. Produções dinamarquesas, por exemplo, já fazem parte da programação há pelo menos cinco edições. “Agora, a Índia chega com algumas exibições”, acrescenta ela, falando de filmes como Meu nome é Kalam, O circo e Keshu. Filmes como esses são apresentados em sessões especiais, que vão além da simples exibição. Entre os destaques está a de dublagem ao vivo, que leva para a sala escura profissionais que dublam as falas dos personagens ao lado do público. Essa exibição vem ocorrendo ano após ano no Fici, que criou uma novidade nesta edição, a Sessão contada, em que um profissional da área artística vai ler o filme em português. Mesmo com essa vertente, o evento não deixa de lado a produção mais comercial. Filmes já vistos nos cinemas ganham novas exibições, como Piratas pirados, Operação presente, Procurando Nemo e Tinker Bell – O segredo das fadas. Lançamento desta semana, a animação Frankenweenie, a primeira em 3D em preto e branco, terá sessões dentro do festival. E a partir de segunda-feira haverá o programa A tela na sala de aula, em que escolas convidadas levarão seus alunos para o cinema. A ideia é que os filmes sirvam como ferramenta de ensino. Depois da exibição, serão distribuídos cadernos pedagógicos, com sugestões de atividades. Sessões especiais Sessão contada Durante as projeções de Keshu e Tony 10 (dia 11, às 15h30 e às 17h30, respectivamente) um profissional da área artística vai ler o filme em português enquanto ele é exibido. Dublagem ao vivo Três produções – as holandesas O homem mais forte da Holanda e A família Trom (sábado, às 16h30 e às 18h30, respectivamente) e a indiana O circo (sábado, às 14h30) – serão dubladas ao vivo por profissionais que estarão dentro da sala de exibição, ao lado da plateia.

Balanço 15 era o número de filmes na primeira edição do festival 100 produções de 24 países estão sendo exibidas na 10ª edição do evento 35 produções estão na programação do festival em BH 1,2 milhão de espectadores assistiram aos filmes do Fici em 10 anos 10 cidades integram o circuito do festival FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA INFANTIL – FICI Até dia 11, no Cinemark Pátio Savassi. A programação de hoje  está na página 6. Ingressos: R$ 16 e R$ 8 (meia para todos). Informações: www.fici.com.br.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA