Jeremy Irons é um dos convidados do Festival do Rio

Festival promete 400 filmes, distribuídos em 20 mostras.Gonzaga - De Pai para Filho é uma das estreias aguardadas

por Agência Estado 13/09/2012 11:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Dado Ruvic
(foto: REUTERS/Dado Ruvic )

Cinéfilos de carteirinha já estão em contagem regressiva, esperando pelo dia 27. Dentro de duas semanas, exatamente, o Rio estende o tapete vermelho e inicia, com Gonzaga - De Pai para Filho, de Breno Silveira, sua grande festa do cinema em 2012. O Festival do Rio antecipa-se como verdadeira maratona, prometendo até 11 de outubro, 400 filmes distribuídos em 20 mostras. A menina dos olhos é a Première Brasil, que virou a grande vitrine do cinema brasileiro, mas estão prometidos, entre muitos outros, o novo Leos Carax, Holy Motors; o novo Francis Ford Coppola, Twixt; o novo Kim Ki-duk, que acaba de vencer o Festival de Veneza, Pietà; e o novo filme dos irmãos Taviani, Cesare Deve Morire, que venceu Berlim, no começo do ano.

A lista da Première Brasil está no site do festival (www.festivaldorio.com.br). O evento anuncia, como convidados confirmados, Jeremy Irons, Fernando Trueba, João Pedro Rodrigues Roland Joffé, Teresa Villaverde, Jonathan Dayton e Valerie Faris (dupla de A Pequena Miss Sunshine) e Los Carax. A presença desse último, como está sendo prometida, poderá virar a sensação do evento. Carax faltou ao tapete vermelho de Holy Motors em Cannes.

Nos últimos anos, à maneira de Terrence Malick, ele virou o grande recluso do cinema francês - e isso só aumentou seu mito, cultivado por publicações como Cahiers du Cinéma (que também idolatra Malick). A revista colocou Holy Motors nas nuvens - o filme passa-se em boa parte, senão todo, dentro de uma limusine, como o Cosmópolis, de David Cronenberg.

Outra importante convidada internacional é a artista visual Marina Abramovic, que integrou o júri de Veneza (o que premiou Kim Ki-Duk). Suas performances provocam sensação e abarcam temas amplos como a morte, que ela utiliza para falar da vida. Chama-se justamente Vida e Morte de Marina Abramovic Segundo Bob Wilson, de Giada Colagrande, o longa que traz Marina ao Brasil. O festival põe o foco no Reino Unido e apresenta filmes de Michael Winterbottom e Mike Leigh, além de exibir a versão restaurada de The Pleasure Garden, de Alfred Hitchcock. Na mostra Imagens de Portugal, destaca-se Tabu, obra-prima de Miguel Gomes. E ainda haverá uma retrospectiva de John Carpenter.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA