Projeto História Permanente do Cinema exibe clássicos em agosto

Sessões acontecem sempre às quintas-feiras, às 17h, no Cine Humberto Mauro

por Agência Minas 31/07/2012 11:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Pacto de sangue dá início à programação de agosto (foto: Divulgação)
O projeto História Permanente do Cinema, realizado pela Fundação Clóvis Salgado, apresenta no mês de agosto, no Cine Humberto Mauro, no Palácio das Artes, cinco longas-metragens de premiados diretores internacionais. As sessões acontecem sempre às quintas-feiras, às 17h. Todos os filmes exibidos estão relacionados às duas mostras em cartaz ao longo do mês, Cores do Noir e Chaplin. As sessões têm entrada gratuita, com retirada de ingressos na bilheteria do cinema meia hora antes de cada exibição. Abrindo a programação, no dia 2, será exibido o filme Pacto de Sangue, de 1944, dirigido pelo norte-americano Billy Wilder. Indicado a sete categorias do Oscar, incluindo Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Atriz, o longa tem Fred MacMurray e Bárbara Stanwyck nos papéis principais. A sessão será comentada pela pesquisadora e professora Ana Lúcia Andrade. Outro clássico noir, Dália Azul, de 1946, com direção de George Marshall e roteiro de Raymond Chandler será exibido no dia 9. O filme é um dos maiores sucessos de bilheteria protagonizados pela dupla Alan Ladd e Veronica Lake e recebeu indicações ao Oscar de Melhor Roteiro Original. A sessão será comentada pelo crítico Leonardo Amaral. Luzes da Ribalta, de 1952, será exibido no dia 16 de agosto. A exibição deste que é um dos maiores clássicos de Charlie Chaplin acontece em meio à mostra dedicada ao cineasta britânico, em cartaz no Cine Humberto Mauro de 10 de agosto a 6 de setembro. Ao final da sessão, o filme será comentado pelo professor e pesquisador Guaracy Araújo. Dando continuidade à programação do projeto, o longa Em Busca do Ouro será exibido no dia 23 de agosto. Estrelado pelo próprio Chaplin, o filme de 1925 ganhou duas estatuetas do Oscar. No mesmo dia, às 19h, será realizada a palestra Música e fala: a transição do silencioso para o sonoro no cinema de Chaplin, dentro da mostra Chaplin, ministrada pelo pesquisador Leo Vidigal.

 

Na última quinta-feira do mês, dia 30, o História Permanente do Cinema encerra a programação de agosto com a comédia Um Rei em Nova Iorque, também estrelada por Chaplin. Lançado em 1957, foi o penúltimo filme produzido pelo cineasta. Realizada desde 2010, no Cine Humberto Mauro, a História Permanente do Cinema tem como foco os filmes em sua individualidade (das mais variadas escolas, tendências, períodos, países e diretores). Sua programação é inspirada em um projeto que leva o mesmo nome, realizado pela Cinemateca Portuguesa.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA