Cunhado de Jennifer Hudson recebe sentença de prisão perpétua pela morte da mãe, irmão e sobrinho da estrela

Atriz acompanhou o veredicto nesta terça-feira

por AFP - Agence France-Presse 24/07/2012 18:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP Photo/Robyn Beck
(foto: AFP Photo/Robyn Beck)
A atriz Jennifer Hudson acompanhou nesta terça-feira o veredicto do julgamento de seu cunhado, condenado à prisão perpétua pelo assassinato da mãe, irmão e sobrinho da estrela.

William Balfour, ex-marido da irmã de Hudson, Júlia, foi condenado em maio pelos assassinatos que aconteceram em outubro de 2008. Na ocasião, ele tentou ainda ocultar o corpo da criança para encobrir seus crimes.

"Tem o coração de uma noite gelada do Ártico", disse o juiz Charles Burns ao sentenciar Balfour.

A lei do estado de Illinois (norte) define como obrigatória a prisão perpétua, sem possibilidade de liberdade condicional, para os condenados por assassinatos múltiplos.

As três condenações à prisão perpétua devem ser cumpridas seguidamente, além de uma pena de 120 anos por sequestro e posse de veículo roubado, segundo Burns.

Balfour fez uma breve declaração antes da sentença, oferecendo seus "pêsames à família", e se disse inocente. A Promotoria afirmou que Balfour agiu motivado por ciúmes quando matou seus parentes, após uma discussão com sua ex-esposa.

AFP PHOTO / COOK COUNTY SHERIFF'S DEPARTMENT
William Balfour é ex-marido da irmã de Hudson, Júlia (foto: AFP PHOTO / COOK COUNTY SHERIFF'S DEPARTMENT)
Júlia Hudson trabalhava no momento dos assassinatos. Ao retornar para casa encontrou a mãe, Darnell Donerson, de 57 anos, morta no chão. Imediatamente chamou a polícia e não percebeu que seu irmão, Jason Hudson, de 29 anos, também estava morto, e que seu filho, Julian King, havia desaparecido sem deixar rastros.

O cadáver da criança foi encontrado três dias depois.

Os assassinatos ocorridos em South Side, em Chicago, abalaram a vida de Jennifer Hudson, menos de dois anos depois da finalista do programa "American Idol" ganhar o Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu papel no musical "Dreamgirls" (2006).

A atriz e cantora esteve acompanhada no tribunal pelo lutador David Otunga, seu companheiro há anos, sua irmã, outros familiares e guarda-costas. Para evitar o assédio da imprensa, o tribunal permitiu que Hudson e sua família saíssem por uma porta especial.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CINEMA