Bloquinhos na Praça JK dão sobrevida ao carnaval de BH

Centenas de pessoas participaram de evento neste sábado

por Landercy Hemerson 28/02/2015 19:40

Euler Junior/EM/D.A Press
(foto: Euler Junior/EM/D.A Press)
O carnaval em Belo Horizonte ainda não acabou. Pelo menos para centenas de pessoas que se reúnem neste sábado na Praça JK, no Bairro Sion, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, para participar do Circuito de Bloquinhos de Carnaval. A festa organizada para os adultos também teve uma programação especial para os pequenos, que se divertiram em um bailinho especial para o público infantil. Mas foram as atrações musicais para os jovens que agitaram o evento. Com repertório variado, não faltou samba, axé e música eletrônica para embalar a folia.

A festa pós-carnaval foi marcada pela a solidariedade. O ingresso para participar da folia era dois quilos de alimentos não perecíveis. A expectativa dos organizadores era de arrecadar mais de seis toneladas de alimentos para serem entregues à ONG Força do Bem, encarregada da distribuição dos produtos às instituições carentes. Foram colocados à disposição do público 3.500 ingressos.

O organizador do evento, Didio Mendes, explica que foi o segundo ano do evento. “Além de garantir a folia pós-carnaval para aqueles que não estavam em Belo Horizonte durante os dias de festejo, temos como objetivo a solidariedade”, afirma. A animação no palco do circuito de bloquinhos ficou por conta das bandas Villa do Samba, Oi de Gato, Trem dos Onze, um DJ convidado e a bateria da Escola de Samba Canto da Alvorada, que encerra a festa. O evento conta com o apoio da Polícia Militar, além da presença de seguranças particulares.


“Desfilei em todos dias de carnaval em vários blocos. Mas ainda ainda quero mais. Podia ter folia carnavalesca como essa o ano todo”, sugeriu o folclórico Medusa Guerreiro de Jorge, porta-estandarte do bloco Baianas Ozadas, grupo que arrastou 100 mil pessoas na festa de momo de BH. A farmacêutica Cristiane Gargano, de 25 anos, que foi ao circuito acompanhada da filha Júlia, de 3, fantasiada de princesa, também compartilha da mesma ideia.

“Este ano fui num desfiles de blocos no Santa Tereza e na Savassi. O carnaval conquistou de vez o belo-horizontino. Onde tiver uma folia na cidade, principalmente com um bom nível de organização, que eu possa ir em segurança com minha filha, irei participar, mesmo fora do período carnavalesco”, disse Cristiane, moradora do Nova Granada, Centro-Oeste da capital, que atravessou a cidade para chegar ao parque.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE CARNAVAL