Artista brasileiro leiloa obra para ajudar vítimas da explosão em Beirute

Muralista, Eduardo Kobra, arrecada contribuições para compra de alimentos, equipamentos médicos e materiais de construção dos que tiveram as casas destruídas

Natasha Werneck* 15/10/2020 16:59
Divulgação
Artista Eduardo Kobra com o painel 'Ao Líbano, com carinho', que criou para arrecadar doações e ajudar as vítimas da tragédia (foto: Divulgação)
O mundo inteiro ficou comovido com a tragédia que atingiu o Líbano em agosto deste ano, quando uma explosão deixou vários mortes e feridos. Imediatamente vários chefes de Estado em diversos países se ofereceram para prestar apoio à população libanesa.

Aqui no Brasil, muitas pessoas também se comoveram com o acontecimento. O artista conhecido como muralista brasileiro, Eduardo Kobra, fez um quadro inspirado na luta pela recuperação do povo libanês, vai colocar para leilão e o valor arrecadado vai ser destinado às vítimas da tragédia.

O painel ganhou o nome de 'Ao Líbano, com carinho' e tem quase dois metros de altura e de largura e todos os elementos compõem um significado especial. "A obra mostra duas mãos, que simbolizam as mãos da humanidade, levantando o cedro do Líbano, que é um símbolo de paz, de fraternidade, de união e respeito", disse o artista, que utilizou a bandeira do Líbano como base para a pintura.

“O vermelho representa o sangue derramado pelas pessoas que se feriram ou morreram nas lutas para livrar o país das forças externas; o branco representa a permanente busca pela paz e a beleza das montanhas cobertas pela neve; e o cedro, árvore presente em boa parte do país, é um símbolo de força e eternidade”, explica Kobra.

O leilão da obra vai ser feito de forma on-line, devido à pandemia do novo coronavírus. Ele vai estar disponível na plataforma 32Auctions até esta quinta-feira, 22. O lance inicial da obra é de 27 mil dólares (cerda de R$ 150 mil). O valor arrecadado será utilizado para a compra de alimentos, equipamentos médicos e materiais de construção para aqueles que tiveram as casas destruídas com a explosão.

Confira a explicação do artista sobre a ação:

 

Junto ao leilão, quem tiver o interesse em ajudar com valores menores, também pode fazer doações no mesmo site. Outras cinco serigrafias da obra vão ser sorteadas entre todas as pessoas que contribuírem para a campanha. De acordo com Kobra, 100% do valor arrecadado será destinado ao país do Oriente Médio. Em 2021, ele foi convidado pela empresa “Sucafina” (multinacional do ramo de agronegócios de café) para ir até Beirute pintar a obra em algum prédio da cidade.

“Agora, estamos ao lado do povo libanês neste momento de necessidade. Quem não quer ou não pode participar do leilão, mas deseja ajudar o povo libanês, pode doar qualquer valor através do link e, ao final da campanha, concorrer para ganhar no sorteio de uma das serigrafias deste trabalho. Qualquer doação pode fazer a diferença. Agora, mais do que nunca, os libaneses, que tanto contribuíram e seguem contribuindo para o nosso país, precisam do nosso apoio”, reforça o artista.

Outras ações

Essa não é a primeira vez que Kobra utiliza sua arte para promover o bem. Recentemente ele também utilizou seu talento para uma campanha que ajudava famílias desassistidas, em situação de vulnerabilidade ainda mais agravada pela pandemia da COVID-19

O artista criou o painel “Coexistência”, que mostra crianças de cinco religiões (budismo, cristianismo, islamismo, judaísmo e hinduísmo), em oração e vestindo máscaras. Da mesma maneira, pessoas fizeram doações e foi sorteada uma serigrafia da obra. Todo valor foi utilizado para produzir e distribuir cerca de 17 mil kits.

Divulgação
Obra 'Coexistência', que mostra crianças de cinco religiões - budismo, cristianismo, islamismo, judaísmo e hinduísmo (foto: Divulgação)


Além disso, outra ação feita por Kobra foi o mural junto ao projeto de revitalização na escola de Suzano, que sofreu o massacre em março de 2019, quando dois ex-estudantes armados invadiram o colégio. 

Divulgação
Campanha de revitalização na escola de Suzano, que sofreu o massacre em março de 2019 (foto: Divulgação)


O artista contou também que seu trabalho é pensado com um propósito. “Já tenho no meu DNA artístico essa necessidade de fazer trabalhos que falam de proteção ao meio ambiente, tolerância, respeito, união dos povos e de paz. Mas sinto que também é importante poder utilizar e reverter o trabalho em benefício daqueles que mais precisam. Então eu percebi que também é possível fazer isso”, disse.

“Com essa obra do Líbano, mesmo tendo passado dois meses, nós sabemos que as famílias ainda estão passando por todo tipo de necessidade. Acho que é a minha forma de poder colaborar para diminuir o sofrimento dessas pessoas que perderam suas casas, entes queridos e estão passando necessidade”, completou.

Ele ainda explicou como sua arte está ligada a um papel social. “Existem artistas que gostam de poder utilizar os muros para tratar de assuntos que tocam, seja de forma positiva ou negativa. Muitas vezes eu falo de proteção aos índios, preservação da floresta amazônica, o COVID, racismo. E agora o meu próximo passo é a criação do instituto Kobra que tem a finalidade de ajudar meninos e meninas das periferias de origem simples, assim como eu, que tem talento e dons artísticos para trabalhar dentro desse espaço que vai contemplar diversos tipos de arte. Espero que em breve já esteja em funcionamento”, concluiu.

*Estagiária sob supervisão do subeditor Daniel Seabra

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS