Fliaraxá anuncia detalhes da 9ª edição, que será on-line devido à pandemia

Evento literário acontece entre os dias 28 de outubro e 1º de novembro. Programação irá reunir cerca de 100 autores de diferentes países que falam e escrevem em língua portuguesa

Guilherme Augusto 30/09/2020 16:18
Richner Allan/Divulgação
A escritora mineira Conceição Evaristo é uma das homenageadas do 9º Fliaraxá junto com o escritor angolano José Eduardo Agualusa. (foto: Richner Allan/Divulgação)
Presente no documentário Língua: Vidas em português (2001), de Victor Lopes, a frase ''Não há uma língua portuguesa; há linguas em português'', dita por José Saramago (1922-2010), é o tema do 9º Fliaraxá - Festival Literário de Araxá. O evento, que acontece entre os dias 28 de outubro e 1º de novembro, anunciou mais detalhes da edição 2020, cujo formato foi adaptado por conta da pandemia da COVID-19.

Realizado tradicionalmente no  Grande Hotel de Araxá, o festival será realizado de forma virtual a partir do Teatro Tiradentes, sem a presença do público. De lá, o jornalista Afonso Borges, criador do evento, fará entradas ao vivo com os convidados via YouTube, Facebook e Instragram. A programação será contínua durante os cinco dias de evento. 

Ao todo, o Fliaraxá irá reunir cerca de 100 autores de diferentes países como Brasil, Portugal, Cabo Verde, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Angola e Moçambique. 

''A ideia é criar um processo de sinergia entre os autores que falam e escrevem em língua portuguesa por todo o mundo, inclusive os que moram fora, como Lucrécia Zappi e Adriana Lisboa, que estão nos Estados Unidos'', esclarece a organização do evento, em nota. 

A lista de convidados inclui nomes como Bruno Vieira Amaral, Paulo Scott, Luiz Ruffato, Ronaldo Correia de Brito, Alberto Mussa, Sérgio Rodrigues, Gonçalo M. Tavares, Noemi Jaffe, José Luís Peixoto, Elisa Lucinda, Olinda Beja, Abdulai Sila, Sérgio Abranches, Mia Couto, Ailton Krenak, Heloisa Starling, Lilia Schwarcz, António Araújo, Tânia Ganho, Yara Monteiro, Nélida Piñon, Marina Colasanti e Itamar Vieira Junior. 

Para desenhar essa edição, Afonso Borges firmou parceria com a The Book Company, de Portugal, empresa responsável pelos principais festivais literários em Portugal e na África. 

''No fim do evento, vamos soltar um manifesto pela sinergia da língua portuguesa e tentar fazer o que a Lusofonia não alcançou'', diz o jornalista. ''Acredito que ninguém tenha reunido nomes tão importantes da literatura portuguesa num mesmo festival como estamos fazendo este ano. É um momento duro em todo o mundo, em que a cultura deve cumprir seu papel de alento, conforto e inspiração para todos que estão em casa ou em situação de restrição por causa do coronavírus.''  
 
CRIANÇAS Com curadoria do escritor e professor Leo Cunha, o Festival Literário de Araxá também irá contar com uma programação voltada para as crianças. Nela, serão apresentadas contações de histórias, making of de ilustrações, músicas e encontros lúdicos. 

Entre os autores de literatura infanto-juvenil confirmados estão nomes como Rosana Rios, Paula Pimenta, Tino Freitas, Daniel Munduruki e Otávio César Jr. 

Conforme anunciado anteriormente, Clarice Lispector (1920-1977) e João Cabral de Melo Neto (1920-1999) serão os patronos desta edição. Ambos completam o centenário de seus nascimentos em 2020.
 
A mineira Conceição Evaristo e o angolano José Eduardo Agualusa são os autores homenageados. O pintor, desenhista e escultor Calmon Barreto (1909-1994) foi escolhido como  patrono local e o ator Antonio Fagundes, a personalidade literária do ano

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS