Ingra Lyberato conta como perdeu o medo de ser escritora

Em seu primeiro volume de ficção, a atriz empresta aos personagens o trajeto de autoconhecimento que percorre desde que abraçou o xamanismo

Mariana Peixoto 22/07/2020 07:39
Eduardo Rodrigues/Divulgação
(foto: Eduardo Rodrigues/Divulgação)

A baiana Ingra Lyberato tinha 20 anos quando chegou ao Rio de Janeiro, no final da década de 1980. Na época, sua intenção era continuar dançando, já que havia estudado dança na universidade.

Mas ela se apaixonou pelo teatro. Depois, se encantou pelo canto. “Sempre achei equivocada a ideia de que você tem que escolher alguma coisa. Vou fazendo o que tenho vontade e o meu caminho foi mudando”, afirma ela, hoje com 53.

Ainda que seja a atividade como atriz que domine sua vida profissional, Ingra, em anos mais recentes, abraçou a literatura. Depois de um livro em que abordou sua trajetória – O medo do sucesso: A vida nos palcos, no cinema e na televisão (L&PM, 2016) – ela agora estreia na ficção.

Lançamento da editora mineira Quixote+DO, A natureza oculta iluminada é uma obra ficcional em que a autora expressa, por meio  de três personagens, as transformações pessoais pelas quais vem passando na última década.

Em primeira pessoa, o livro acompanha Ayara, Alva Mãe e Ângelo. A primeira é uma jovem atriz que está em um momento caótico da vida e resolve buscar um novo sentido para sua trajetória. É ela quem dá a partida na narrativa. Iara vai até Chapada Cristalina encontrar uma mulher mais velha, Alva Mãe, que é uma espécie de maga da região. Ela tem um irmão, Ângelo, um homem da nova era. 

PROFUNDIDADE

“As experiências dos três personagens são as experiências internas que tenho vivido nos últimos 10 anos. As circunstâncias externas são fictícias, pois vi que ia me sentir mais livre para tratar com profundidade as questões e até descrever os eventos sem me preocupar com os outros”, diz Ingra.

Há oito anos a atriz descobriu o xamanismo e foi a partir daí que teve início uma mudança mais intensa em sua vida. “Sempre fui tocada pela natureza. Sou filha de pais artistas e ex-hippies. Minha mãe me alfabetizou em casa, cresci num sítio. Então a natureza já trazia um apelo afetivo para mim. Quando fiz Pantanal (1990) e Ana Raio e Zé Trovão (1991, ambas novelas da extinta Rede Manchete), eu voltei a ter um contato forte com a natureza. E num momento mais recente, já pela maturidade, ela voltou de maneira definitiva. Eu também não estava bem, estava muito infeliz. De uma maneira intuitiva, um caminho de expansão da consciência se apresentou para mim.”

E com ele veio a escrita. “Fico um pouco tímida de me chamar de escritora, mas de fato escrevo sem parar. Confesso que durante um tempo me aprisionei com a ideia de que para me jogar em uma atividade nova tinha que ficar 10 anos estudando. Não penso mais assim e foi a escrita que me trouxe isto. Tinha medo de expandir, do aumento da responsabilidade, de botar a cara a tapa, me expor. Estou aprendendo a lidar com isto”, acrescenta.

De acordo com Ingra, A natureza oculta iluminada não é um livro para iniciados. “Quero me comunicar com todo o público, não só com pessoas que já fizeram um mergulho mais profundo.” 

Ainda que tenha abraçado a escrita, Ingra continua com a carreira de atriz ativa. Aguarda, assim que for possível, o lançamento de três longas-metragens inéditos. A batalha de Shangri-lá, de Severino Neto e Rafael de Carvalho, conta a história de um homem que vai atrás da mãe biológica (papel de Ingra). Ao encontrá-la, descobre não só uma mulher casada com outra, como também o que aconteceu em seu passado.

Já em A espera de Liz, de Bruno Torres, a atriz interpreta a mãe de duas garotas. Por fim, em Além de nós, road movie de Rogério Rodrigues, Ingra é uma das várias figuras com quem os personagens de Thiago Lacerda e Miguel Coelho, tio e sobrinho, se conectam durante uma transformadora viagem de carro do Sul do Brasil até o Rio de Janeiro. 
 
Reprodução
A NATUREZA OCULTA ILUMINADA Ingra Lyberato Editora Quixote DO (328 págs.) R$ 45, à venda no site quixote-do.com.br (foto: Reprodução)

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS