Itália devolve obra de Banksy roubada na França

Governo italiano entregou à embaixada da França em Roma a porta do Bataclan com o grafite que o artista britânico pintou

Agência Ansa 20/07/2020 07:43
THOMAS SAMSON/afp
Homem fotografa o grafite de Banksy na porta do Bataclan, em Paris, em junho de 2018 (foto: THOMAS SAMSON/afp)

A Itália devolveu oficialmente à França a porta do clube noturno Bataclan pintada pelo artista britânico Banksy em homenagem às 90 vítimas do ataque terrorista de 13 de novembro de 2015, em Paris. A porta havia sido roubada em janeiro do ano passado. No mês passado, foi encontrada em território italiano.

A obra Bansky's gate foi devolvida ao embaixador francês em Roma, Christian Masset na última terça-feira (14), a data nacional francesa, e ficou exibida no Palácio Farnese, que abriga a embaixada da França na capital italiana. Até o momento, não se sabe a data e a maneira que a porta voltará para a França.

“É um gesto respeitoso. As obras de arte devem retornar aos seus contextos”, afirmou Roberto Riccardi, comandante geral dos carabineiros para a Proteção do Patrimônio Cultural da Itália.
O Bataclan foi palco de um dos piores atentados da história da Europa, em 13 de novembro de 2015, quando terroristas invadiram o local e mataram 90 pessoas. A porta de saída de emergência ganhou uma obra de Banksy, pintada em junho de 2018, que mostrava uma mulher em luto. Foi uma homenagem do artista às vítimas.

Filippo MONTEFORTE/AFP
O embaixador da França na Itália, Christian Masset, discursa em agradecimento à devolução da obra de Banksy, em Roma, no último dia 14 de julho, a data nacional francesa (foto: Filippo MONTEFORTE/AFP)
 

A peça foi roubada em 26 de janeiro de 2019 e recuperada no dia 10 de junho deste ano, quando os policiais de Alba Adriatica, localizada na região de Abruzzo, a encontraram em uma fazenda na área rural.

METRÔ


A descoberta ocorreu após uma longa investigação da Procuradoria Distrital de L'Aquila em parceria com as autoridades francesas. “O valor simbólico dessa porta nos diz que sempre teremos que lutar por nossa liberdade”, ressaltou o promotor de L'Aquila, Michele Renzo.
Ao todo, seis suspeitos foram presos no final de junho na França, depois de uma megaoperação policial. De acordo com as autoridades, dois suspeitos são italianos nascidos na França.Ainda há um foragido.

Notório por suas ações ousadas, como a instalação de um dispositivo cortante que triturou uma de suas obras imediatamente após o desenho ter sido comprado num leilão, Banksy voltou a provocar rebuliço nesta semana, quando divulgou em seu Instagram um vídeo de sua interevenção no metrô londrino.

Vestido como se fizesse parte da equipe de limpeza do transporte público, Banksy aplicou desenhos de ratos usando máscaras de proteção facial, numa referência à pandemia do novo coronavírus. Anteriormente, ele já havia homenageado as equipes de saúde.

O metrô de Londres, que tem regras contra intervenções em seus trens, apagou os desenhos, mas convidou Banksy a reproduzi-los “em local apropriado”.

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS