Coronavírus: projetos abrem espaços para trabalhos surgidos na quarentena

De exposições online e museus virtuais a festivais e feiras, as produções ajudam na divulgação de artistas

Lisa Veit* - Correio Braziliense 24/06/2020 10:24
GINTS IVUSKANS
(foto: GINTS IVUSKANS)
Nascidos no isolamento de uma pandemia, novos conceitos, espaços e desafios criativos são dedicados aos artistas para que expressem no virtual, o que vivem no mundo real. As artes exibidas nesses projetos trazem grande simbolismo e sentimento, traduzidos em arte, aos elementos do novo cotidiano.

Museu Virtual de Arte

The Covid Art Museum (em tradução livre, o Museu de Arte Covid) é o primeiro Museu de Arte nascido na quarentena da COVID-19, em formato on-line, no perfil @covidartmuseum no Instagram.

Foi criado pelos publicitários espanhóis Irene Llorca, José Guerreiro e Emma Calvo, e recebe trabalhos artísticos como fotografia, ilustração, desenhos gráficos, pintura, entre outras intervenções de todo o mundo.

O projeto convida artistas a publicarem suas obras com a hashtag #CovidArtMuseum ou enviarem por formulário. Irene conta que começaram em 19 de março, e a ideia surgiu da percepção de que a arte emergia no isolamento e precisava de um espaço. “Acreditamos que a existência de um espaço artístico virtual é importante, porque a arte é uma ferramenta de comunicação muito potente, que também conecta as pessoas e muitas vezes ajuda a superar o sentimento de solidão, estresse e incerteza”, explica a publicitária espanhola.

Vale também destacar o museu pioneiro do gênero no Brasil, o Museu do Isolamento Brasileiro, @museudoisolamento, criado pela paulistana Lu Adas, que recebe trabalhos pelo link encontrado na bio do perfil no Instagram.

Arquivo Pessoal
(foto: Arquivo Pessoal)

Dentre as publicações do CAM, há trabalhos brasileiros, um deles compartilhado com o museu pelo perfil @mas.corona. O Mascorona, máscaras para a nova era mundial, é uma exposição virtual brasileira, no Instagram, criada pelos designers Rita Davis, Filipe Costa e João Emediato. “No começo da quarentena, fiz uma máscara inspirada no artista Saul Steinberg. Ao compartilhar no Instagram, Filipe Costa e João Emediato viram, e tiveram a ideia de desafiarmos outros amigos a criarem suas próprias máscaras. De repente, tínhamos em mãos máscaras incríveis, foi quando criamos o perfil”, conta Rita. No momento, são quase 200 mascarados representando diversas cidades do Brasil e também outros países.
 
Exposição virtual

Carlos Catini/Divulgação
(foto: Carlos Catini/Divulgação)


O artista plástico goiano Carlos Catini resolveu também produzir diversas versões de máscaras com objetos recicláveis e disponíveis em sua galeria, para compor sua visão artística sobre a pandemia na exposição Oxigênio, que inaugurou a galeria de arte virtual do Instituto Tecnológico de Goiás (ITEGO) em Artes Basileu França.

“As artes visuais sempre terão importante função, seja na reflexão, apreciação, informação ou protesto. Acredito que nesse período de isolamento a maioria das pessoas usam as redes sociais como uma janela, um refúgio. E se, dessa janela, eu posso vê a arte, isso é fantástico”, reflete. Com curadoria de Gisele Jacinto e fotografias de Sérgio Lópes. A composição visual da exposição é acompanhada pelos versos de Carlos Drummond Andrade, José , de 1942.

Corona Short Film Festival

O primeiro e, como dizem os produtores, esperançosamente o último, festival pandêmico internacional de curtas-metragens Corona Short Film Festival foi criado para exibir trabalhos produzidos como uma reação aos desdobramentos da pandemia da covid-19. O ator alemão e diretor do projeto, Dejan Bucin com apoio de colaboradores sem fins lucrativos e sem orçamento, deu aos produtores de audiovisual de todo o mundo um desafio criativo, retratar em poucos minutos as faces da pandemia.

É possível que o público assista todos os curtas do programa, gratuitamente, disponíveis no site do festival com legendas em inglês. “Foram 35 curtas selecionados, com o tempo total de 2 horas e 8 minutos. Recebemos mais de 1250 envios, de mais de 70 países”, revela a produção. Women locked inside (Mulheres em quarentena), da brasileira Bárbara Tavares, foi um dos 35 filmes classificados para o programa. “Ficamos muito orgulhosos. O festival teve muita diversidade e uma qualidade técnica incrível, mesmo com o isolamento”, conta Bárbara.

Feira internacional de Arte

Entre 10 de junho a 8 de julho ocorre a edição inédita da feira internacional de arte not cancelled (não cancelado) no Brasil, um evento on-line de 4 semanas reunindo 57 galerias brasileiras de 9 cidades, com obras de 106 artistas. A not cancelled Brasil foi viabilizada pela galerista brasiliense Karla Osorio Netto e contou com apoio da ABACT, Associação Brasileira de Galerias Contemporâneas.

"Desde que começou a pandemia as galerias começaram a pensar em ações de solidariedade, e ao mesmo tempo alternativas que aumentassem a possibilidade de venda no mercado. A minha ideia foi uma feira on-line e, pesquisando, descobri a plataforma. Ao me comunicar com eles, acabei me tornando o contato local no Brasil. Foi tudo muito rápido e com muita colaboração entre as galerias", conta Karla.

Os interessados na feira  podem fazer um cadastro gratuito no site www.notcancelled.art/brazil para acessar os conteúdos da programação.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS