'As pessoas têm que ter vergonha do nosso passado', diz banda que retirou de hotel quadros sobre escravidão

Episódio ocorreu em um hotel de BH com o grupo baiano Attooxxá, uma das atrações da Virada Cultural. Em nota, o estabelecimento lamentou que os integrantes tenham se sentido ofendidos e disse que, 'por mais infame' que seja a história, 'não podemos esquecê-la'

por Alessandra Alves 22/07/2019 11:49

A quinta edição da Virada Cultural de Belo Horizonte foi marcada por conflitos. Primeiro, o prefeito Alexandre Kalil, decidiu suspender, de última hora, o espetáculo "Coroação de Nossa Senhora das Travestis", duramente criticado por grupos religiosos. Logo depois, integrantes da banda Attooxxá, uma das atrações de domingo, denunciaram mais uma polêmica: o quarto do hotel onde ficaram hospedados na capital trazia quadros com a temática escravocrata.


Nas imagens, é possível ver o grupo retirando os quadros e chutando algumas telas. Eles explicam que chegaram a ligar para a recepção, mas que não encontraram o gerente e, por isso, deixariam os quadros no corredor.

Nesta segunda-feira (22), a banda gravou um novo vídeo, explicando que as imagens nos quadros realmente incomodaram a todos e que eles acreditam que, a essa altura, já devia haver uma conscientização maior a respeito do tema.

"Por motivo de conscientização, a gente não vai passar pano em nada. Isso não é motivo de orgulho. Esse passado é uma coisa que a gente quer passar pra trás, porque, de fato, as pessoas têm que ter vergonha do nosso passado. É inadmissível a gente chegar em lugares que está havendo esse tipo de opressão. Preconceito, racismo, machismo, a gente tá aqui pra lutar contra todos esses tipos de preconceitos", disse Raoni, um dos integrantes da Attooxxá.

História infame

A equipe do Dayrell Hotel & Centro de Convenções, onde o grupo ficou hospedado, emitiu nota na manhã desta segunda-feira, dizendo lamentar que os hóspedes tenham se ofendido com as gravuras, "inspiradas na obra de Debret, originárias do antigo Hotel Del Rey". Ainda segundo o texto, "elas representam cenas de um Brasil colonial, com todas as características daquele tempo". 

A nota diz também que, "por mais infame que seja essa parte da nossa história, não podemos esquecê-la, aliás, não devemos, pois é por meio da conscientização sobre erros do passado que confirmamos nossa determinação de criar um mundo melhor para nós e para nossos filhos".

Por fim, eles dizem estar à disposição para retirar as imagens sempre que elas causarem constrangimento ou desconforto a quaisquer pessoas, "bastando simples requisição".

No caso da banda Attooxxá, os integrantes disseram que tentaram falar com o gerente, mas ele não foi encontrado. Por isso, optaram por retirar as imagens e deixá-las no corredor. O hotel disse que nenhuma obra foi danificada.

Reprodução/YouTube
(foto: Reprodução/YouTube)

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS