Lázaro Ramos autografa 'Na minha pele' em BH

Livro mistura autobiografia, diário e ensaio, apesar do autor refutar rótulos

por Ana Clara Brant 08/11/2017 11:43

Flip/Divulgação
Lázaro Ramos em animada sessão de autógrafos de Na minha pele na Flip, em julho. (foto: Flip/Divulgação)

Em 2007, Lázaro Ramos foi convidado pela Editora Objetiva para escrever um livro. No contrato assinado, o título era Na minha pele. O ator, apresentador e escritor o rejeitou. ''Não queria falar nada que fizesse alusão à pele, nada que falasse de mim. Queria falar sobre os outros. Tanto que a ideia era que o título fosse A ilha, uma referência à Ilha de Paty, na Bahia'', conta ele, citando o lugar onde nasceu.

Há um ano, quando finalizava o livro, Lázaro teve um insight. ''Não sei como, mas Na minha pele surgiu na minha cabeça do nada e achei que pareceu se encaixar muito bem, apesar de não ser só a minha voz, mas a de várias pessoas. Quando fui ver o contrato e conferir o nome que estava lá, tive uma surpresa. Nem me lembrava de que era Na minha pele. Olha que coisa! Precisei fugir de mim para me encontrar'', comenta o ator. Nesta quarta-feira, 08, ele virá a BH participar de sessão de autógrafos na Livraria Leitura, no Pátio Savassi.

Apesar do longo processo de produção – 10 anos –, Ramos considera esse tempo importante para a maturação do livro. ''Na época, ficava irritado com o adiamento que eu mesmo causava. Mas hoje, olhando para trás, vejo que foi muito importante justamente para chegar aonde queria'', revela.

Na minha pele mistura um pouco de autobiografia, diário e ensaio, mas Lázaro refuta qualquer rótulo. ''A gente pode se definir como mais de uma coisa. Eu me defino pela cor da minha pele, pelo fato de ser pai de duas crianças, por ser um nordestino que mora no Rio. Sou um conjunto de coisas. E com o livro é assim. Tudo é mais rico do que uma coisa só”, afirma.

FLIP  Lázaro tem se surpreendido com a reação da crítica e, sobretudo, do público. O ator e escritor achava que seus leitores já estavam definidos – eram fãs ou pessoas que acompanham seu trabalho. “Mas o leque é amplo e isso é muito bacana. Também me surpreendi de ser o autor mais vendido da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), realizada em julho. Na minha pele ainda está na lista dos mais vendidos do país”, pontua.

 

 

Com três títulos infantis publicados e preparando mais dois, que serão lançados em 2018, Lázaro Ramos estreou na literatura adulta com Na minha pele. O ator se sente mais confortável escrevendo para crianças do que para adultos. “Na literatura infantil, tem ficção e ludicidade, que é o meu lugar. Foi muito mais difícil fazer um livro adulto, mas isso não significa que não vou continuar neste caminho. Gostei muito e já comecei a fazer outro”, frisa.


TELEVISÃO Enquanto não chega a quarta temporada de Mister Brau, que ele estrela ao lado da mulher, Taís Araújo, Lázaro se prepara para estrear Lazinho com você, em 10 de dezembro, na Globo. “É uma feijoada de domingo”, define.

A atração mistura programa de TV, rede social e site. “Sugeri esse formato, a equipe do programa agregou e ajudou a moldá-lo. O mais interessante é que ficaremos perto das pessoas. Apesar de já estar disponível no Globoplay, o formato da internet é bem diferente do da televisão”, conclui.

 

 

NA MINHA PELE
. De Lázaro Ramos
. Editora Objetiva
. 152 páginas
. R$ 34,90 e R$ 23,90 (e-book)
. Noite de autógrafos nesta quarta-feira (8), às 18h, na Livraria Leitura do Pátio Savassi. Avenida do Contorno, 6.061, 2º andar, Savassi. Informações: (31) 3288-3800.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE ARTES E LIVROS