Caetano Veloso ataca políticos e censura em visita à exposição de Moraleida em Belo Horizonte

O cantor baiano citou período militar em defesa da liberdade de expressão: 'Eu vivi o período da ditadura e não quero nada parecido com isso'

por Marcelo da Fonseca Ana Clara Brant 08/10/2017 19:16

O músico Caetano Veloso aproveitou sua passagem pela capital mineira, onde se apresenta neste final de semana, no Palácio das Artes, para visitar a exposição "Faça você mesmo sua Capela Sistina", do artista mineiro Pedro Moraleida – que se suicidou em 1999, aos 22 anos.
 
No mesmo dia em que Caetano (junto de outros artistas) lançou a campanha “342 Artes”, contra o cancelamento da exposição “Queermuseu”, em Porto Alegre, e a polêmica envolvendo a performance “La bête”, em São Paulo, ele criticou a censura em exposições artísticas.
 
“Tem alguns políticos querendo enganar o povo. Querendo chamar atenção. Em nenhuma dessas exposições que estão sendo discutidas não há nada que não seja tradição das artes, sobretudo das artes mais recentes”, afirmou Caetano durante visita à exposição no Palácio das Artes.
Juarez Rodrigues/Em/D.A.Press
(foto: Juarez Rodrigues/Em/D.A.Press)

A exposição de Pedro Moraleida foi alvo de protesto de um grupo de evangélicos na última quinta-feira. Alguns manifestantes tentaram invadir a Grande Galeria Alberto da Veiga Guinard, onde as obras de Moraleida estão expostas.
 
O grupo considerou as pinturas da exposição como “incentivos à pedofilia, zoofilia e cristofobia”.
 
Caetano relembrou o período da ditadura militar no Brasil para defender a liberdade de expressão. “Eu vivi o período da ditadura e não quero nada parecido com isso”, disse o músico baiano.

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS