[an error occurred while processing this directive] 'Coletivo na Esquina' apresenta performance sobre sua trajetória

'Coletivo na Esquina' apresenta performance sobre sua trajetória

Espetáculo sobre vida itinerante do grupo de Belo Horizonte fica até domingo no Sesc Palladium e integra programação do Festival Internacional de Circo

13/06/2017 11:37
Rafael Camisassa/Divulgação
(foto: Rafael Camisassa/Divulgação)
Até domingo, a magia do circo estará presente na capital paulista com grupos e artistas não só do Brasil, mas de vários países. O Festival Internacional Sesc de Circo reúne 13 atrações internacionais, todas inéditas em São Paulo, e 18 nacionais, das quais oito são estreias. São mais de 100 atividades, entre espetáculos, intervenções e programação formativa. Uma delas é Abasedotetodesaba, do Coletivo na Esquina, de Belo Horizonte, que fará seis apresentações gratuitas e na rua. A produção nasceu da experiência pessoal dos atores da trupe, que vivem na ponte aérea Brasil- Europa.

“A ideia surgiu um pouco nesse sentido. Como a gente cada hora está num lugar, uma das coisas que mais fazem parte da nossa vida é a saudade, uma palavra que só existe na língua portuguesa. Essa foi um das nossas inspirações. E traduzir isso no corpo, através das acrobacias, é um desafio”, comenta o acrobata Pedro Guerra, que, ao lado da colega Liz Braga, atua e é responsável pela concepção e direção da intervenção de 25 minutos.

Em cena, também estará o músico Juninho Ibituruna. Formados em Belo Horizonte, eles partiram para a Europa há 10 anos para estudar a técnica de mão a mão, base desse trabalho e, desde então, vivem entre idas e vindas. O palíndromo, Abasedotetodesaba, que dá título à performance, simboliza essa vida pendular, hora no Brasil, hora na estrada. “A montagem remete a várias questões da nossa vivência como essa coisa do pertencimento. Na verdade, essa intervenção que vamos fazer é apenas uma mostra do que será mesmo o espetáculo que vai estrear no ano que vem. Quem for nos ver no festival em São Paulo vai ter um gostinho do que realmente virá”, destaca Pedro.

CICLOS Assim que o evento paulistano acabar, os artistas mineiros voltam para BH para se apresentarem no Palco Giratório, que está completando 20 anos e é considerado o maior circuito de artes cênicas do país. Em 2 de julho, o coletivo apresenta Na esquina. Na peça, o grupo explora a repetição em esquetes nos quais são utilizadas várias técnicas: acrobacia, malabares, mastro chinês, trapézio e outros. Em cena, os artistas buscam cruzar os elementos simultaneamente para falar um pouco da diferença a partir do encontro com o outro. “A gente está em turnê com esse espetáculo já há algum tempo. Assim que acabar a temporada por aqui, no Sesc Palladium, já embarcamos para a Europa novamente. A nossa vida é essa. Meio cigana mesmo”, relata Pedro.

Informações 
www.sesc.com.br/portal/site/palcogiratorio

['__class__', '__cmp__', '__contains__', '__delattr__', '__delitem__', '__dict__', '__doc__', '__eq__', '__format__', '__ge__', '__getattribute__', '__getitem__', '__gt__', '__hash__', '__init__', '__iter__', '__le__', '__len__', '__lt__', '__module__', '__ne__', '__new__', '__reduce__', '__reduce_ex__', '__repr__', '__setattr__', '__setitem__', '__sizeof__', '__str__', '__subclasshook__', '__weakref__', 'clear', 'copy', 'fromkeys', 'get', 'has_key', 'items', 'iteritems', 'iterkeys', 'itervalues', 'keys', 'pop', 'popitem', 'request', 'setdefault', 'update', 'values', 'viewitems', 'viewkeys', 'viewvalues']

MAIS SOBRE ARTES-E-LIVROS