UAI

Fernanda Montenegro é dada como morta no INSS e processa instituição

Atriz está processando a previdência desde 2022, após problemas no pagamento de seus benefícios antes e durante a pandemia de Covid-19

Fernanda Montenegro é dada como morta no INSS e processa instituição Divulgação
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 21/04/2024 13:40
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Fernanda Montenegro, de 94 anos, tem travado uma batalha na Justiça Federal desde 2022 para reivindicar os direitos de sua aposentadoria e pensão por morte do marido, o também ator Fernando Torres (1927-2008) que não foram pagos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Leia Mais

De acordo com as informações do colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, em agosto de 2019, sem qualquer motivo, a instituição deixou de depositar corretamente os benefícios da atriz, situação que perdurou até março de 2022.

 

Durante a pandemia da Covid-19, a artista enfrentou dificuldades para realizar a prova de vida exigida pelo instituto, algo que a fez ter os direitos "cessados". Com isso, o INSS passou a considerar que Fernanda havia morrido.

 

No ano passado, ela ganhou a causa e a Justiça determinou que o órgão efetuasse os pagamentos retroativos, calculados atualmente em mais de R$ 334 mil. Além disso, a insituição foi condenado a pagar uma indenização por danos morais no valor inicial de R$ 30 mil, mas um recurso reduziu a punição a R$ 10 mil. No entanto, até o momento, nenhum valor foi depositado na conta da primeira-dama do teatro.

 

Vale destacar, que pela legislação brasileira, quando uma das partes do casal morre e ele paga previdência ou é aposentado, a outra parte fica recebendo o que o INSS caracteriza como "pensão por morte", mesmo que a pessoa também receba aposentadoria por tempo de trabalho.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp