UAI

No JN, Zileide Silva se emociona ao relembrar transplante de córnea

Repórter deu depoimento pessoal em matéria que destacava a importância da doação de órgãos no Brasil

No JN, Zileide Silva se emociona ao relembrar transplante e agradece a família de doador Reprodução/Globo
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 02/04/2024 09:13
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Nesta segunda-feira (01/04), Zileide Silva se emocionou durante o Jornal Nacional, ao participar de uma reportagem que destacava a importância da doação de órgãos no Brasil. A repórter falou abertamente sobre o seu transplante de córnea e agradeceu publicamente a família de seu doador.

Leia Mais

"Eu, Zileide, sou transplantada e agradeço às duas famílias que em uma hora extremamente difícil concordaram em doar as duas córneas que tenho hoje", destacou.

 

A jornalista foi diagnosticada com ceratocone, doença degenerativa que afina a córnea e embaça a visão. Ela já havia dado a declaração, durante o Jornal Hoje, também da Globo, em 2019. "Eu tive ceratocone nos dois olhos, precisei do transplante e sempre agradeço às duas famílias que concordaram com a doação. É, sem dúvida, um ator de amor e vida que segue", declarou a profissional de comunicação na época.

 

Na matéria desta segunda, Zileide trouxe informações sobre um aplicativo que vai ajudar as pessoas a se declararem doadores de órgãos e tecidos. O Conselho Notarial do Brasil, o STF (Supremo Tribunal Federal), o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e o Ministério da Saúde vão disponibilizar um sistema eletrônico para validar o desejo de cada brasileiro.

 

A AEDO (Autorização Eletrônica de Doação de Órgãos, Tecidos e Partes do Corpo Humano) vai poder ser solicitada a partir desta terça-feira (02/04) de forma facilitada. Vale destacar, que podem ser doados artérias, medula óssea, ossos, cartilagem, córneas, coração, válvulas do coração, intestino, rins, fígado, pulmão, músculos, pâncreas, pele, tendões, sangue do cordão umbilical e veias.

 

"A partir de amanhã à tarde, quem quiser manifestar essa intenção vai poder registrar a doação no aplicativo ou no site aedo.org.br. Isso vai permitir que o Sistema Nacional de Transplantes acesse a autorização, que poderá ser apresentada à família, comprovando o desejo do doador", explicou.

 

"Isso pode ajudar na decisão dos familiares. Eu, Zileide, sou transplantada e agradeço às famílias que numa hora extremamente difícil concordaram em doar as duas córneas que tenho hoje", afirmou. Atualmente, 42 mil pessoas aguardam na fila por um transplante no Brasil. 500 delas são crianças. No ano passado, 3 mil pessoas morreram antes de conseguirem um doador.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp