UAI

Foliã processa Ivete Sangalo após ser 'esmagada' em bloco em Salvador

Mulher também alega que teve um ataque de pânico durante o percurso do Bloco Coruja e, agora, pede indenização de mais de R$ 50 mil

Foliã processa Ivete Sangalo após ser 'esmagada' em bloco do Carnaval de Salvador Reprodução/Instagram/Montagem
Douglas Lima - Especial para o Uai clock 20/05/2024 19:20
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

Ivete Sangalo está sendo processada por uma foliã do Carnaval de Salvador, que alega ter sido "esmagada" durante o Bloco Coruja, em fevereiro deste ano. Na ação, a mulher pede a responsabilização da cantora, afirmando ter sido esmagada durante a concentração do bloco.

Leia Mais

De acordo com as informações da colunista Fábia de Oliveira, do portal Metrópoles, a medida judicial foi aberta em março, alegando que a moça e a esposa sofreram danos morais e materiais devido à aglomeração descontrolada da atração. A autora do processo afirma ter sido prensada entre as grades do apoio do bloco da artista, além de ter sofrido ataque de pânico.

 

Tudo aconteceu no dia 10 de fevereiro, no Farol da Barra, em Salvador, quando uma multidão se aglomerou para ver a passagem de Ivete. A autora e a companheira haviam adquirido o abadá, cujos ingressos foram de R$ 2,4 mil.

 

O problema é que o Bloco Coruja, agendado para sair às 16h45, sofreu com um atraso de quase três horas. A situação fez com que o público de outros blocos se unissem ao do furacão baiano, gerando uma multidão descontrolada. Depois da espera, ela conta que foi para a parte traseira do bloco, perto dos carros de apoio esperando sua saída.

 

Às 19h30, Sangalo anunciou que, por conta de problemas técnicos, o trio elétrico de Leo Santana teria que passar na frente. Nessa hora, devido à aglomeração sem controle, os foliões protestaram alegando a falta de espaço para a manobra. Mesmo assim, o carro teria avançado para cima do público, o que ela lembra como um cenário de "horror".

 

A fã que processa Veveta conta que os foliões pediram ajuda para parar a movimentação do trio, e mesmo com protesto foram ignorados. Ela alega que a produção do evento e a cantora causaram "situação de risco grave de morte e iminente à segurança das pessoas".

 

À Justiça, a autora da ação ainda recorda ter presenciado o desmaio de uma jovem de 14 anos que teria sido pisoteada pela multidão. Os representantes legais do casal apontaram que, no momento da crise de pânico e do suposto esmagamento, "um cordeiro do bloco Coruja agrediu a autora do processo com cotoveladas no braço para esticamento da corda".

 

A confusão foi registrado por meio de um boletim de ocorrência (BO) antes da autora levar o caso adiante. Ela conta que bateu na quina do carro de apoio com o cotovelo e o tórax, se lesionando novamente por conta do episódio. E, que, por volta das 20h30, ela e a esposa conseguiram ir embora, pois não era possível permanecer em um lugar com risco de segurança e morte das pessoas. Na Justiça, ela agora pede uma indenização de R$ 50 mil e o ressarcimento do valor dos ingressos, somando R$ 52,9 mil.

 

Vale destacar, que além de Ivete Sangalo, a empresa Pau D’arco Produções e Eventos Ltda. foi acionada nos autos. O caso está no Juizado Especial Cível da Comarca de Niterói, Região Oceânica no Rio de Janeiro.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp