UAI

Leandrinho desmente Samara Felippo sobre suposta violência patrimonial

Ex-jogador publicou uma nota de repúdio

Leandrinho desmente Samara Felippo sobre suposta violência patrimonial Reprodução: Redes sociais
Camile Brito - Especial para o Uai clock 20/03/2024 15:19
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news
Após Samara Felippo expor o ex-marido, Leandrinho, sobre violência patrimonial. Na tarde desta quarta-feira (20), ele se pronunciou contra as denúncias da ex-mulher por uma nota de repúdio.

Leia Mais

O ex-jogador de basquete começou afirmando não gostar de polêmicas: “Nunca gostei de polêmicas e de ficar expondo minha vida pessoal, mas diante dos fatos mentirosos imputados pela sra. Samara Felipo, estou colocando meu lado para desmentir as falsas afirmações feitas pela mãe das minhas filhas”.
Em seguida, publicou a nota assinada pelo advogado, o dr. Marco Aurelio Alves Pinto, e afirmou que a versão apresentada “não corresponde a realidade” e o vídeo publicado é mal-intencionado afim de usar “a internet como seu próprio Tribunal, buscando engajamento e seguidores com depreciação”.
No entanto, ele confirmou a existência de um processo judicial que está em segredo de justiça: “Por esta razão fico impedido de expor todos os detalhes”, e esclareceu: “quando estávamos juntos foi realizada a compra de um imóvel cujos recursos de minha parte foram muito superiores”.
Leandrinho também desmentiu Samara sobre ela dizer que não saberia que o imóvel estava registrado em outro nome: “A Sra. Samara é pessoa bem esclarecida, atriz renomada e conhecedora dos seus direitos, e sempre teve conhecimento sim de que o bem estava no nome do meu irmão, concordando inclusive com isso. A necessidade do registro em nome do meu irmão se deu por conta do meu domicílio fiscal não ser no Brasil, com concordância de ambas as partes”. E continuou: “Quando decidimos terminar nosso relacionamento, foi realizado, judicialmente, um acordo financeiro cujo pagamento ficou condicionado à venda da casa. Neste acordo, a Sra. Samara ficou residindo no imóvel por dois anos até que a venda ocorresse, e, nesse período, eu suportei todas as despesas mensais, necessitando esta suportar apenas com as despesas de manutenção do imóvel, o que não aconteceu. Durante os dois anos que residiu no imóvel não houve qualquer manutenção, o que causou depreciação significativa, reduzindo o valor de mercado para menos da metade”.
Leandrinho encerrou a nota afirmando que seus advogados “fizeram diversas propostas de acordo para encerramento do processo” e todas foram negadas. Segundo ele, Samara “nunca concorda com os valores oferecidos”.





compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp