UAI

Nota de Repúdio do Grupo Pela Vidda RJ (GPV-RJ): Projeto de Lei que Proíbe Casamento Homoafetivo

Esse projeto de lei é uma afronta aos princípios fundamentais da igualdade e da não discriminação presentes em nossa Constituição

Casamento Gay Casamento Gay (Reprodução/Internet) - Reprodução / Internet
Redação - Observatório G clock 11/10/2023 07:46
compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp SIGA NO google-news

O Grupo Pela Vidda RJ (GPV-RJ) manifesta veementemente seu repúdio ao Projeto de Lei aprovado pela Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados, que proíbe o casamento homoafetivo e a união estável entre pessoas do mesmo sexo. Este projeto, que desconsidera os direitos e a dignidade das pessoas LGBT+, é um retrocesso inaceitável em nossa sociedade.

Leia Mais

É inadmissível que em pleno século XXI, enquanto o mundo avança na garantia de direitos para todos, inclusive para a comunidade LGBT+, o Brasil siga um caminho que nega a igualdade e o respeito à diversidade. O casamento homoafetivo é um direito reconhecido internacionalmente e já foi legalizado em nosso país pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2011.

Esse projeto de lei é uma afronta aos princípios fundamentais da igualdade e da não discriminação presentes em nossa Constituição. Além disso, ao usar termos ofensivos e ultrapassados, desrespeita a dignidade das pessoas LGBT+ e perpetua o preconceito e a homofobia.

Repudiamos veementemente a tentativa de retrocesso representada por esse projeto de lei, que não condiz com os valores de respeito, inclusão e igualdade que nossa sociedade deve promover. Continuaremos a lutar pela garantia dos direitos da comunidade LGBT+ e contra qualquer forma de discriminação.

É fundamental que a sociedade civil, organizações de direitos humanos e todos aqueles que valorizam a igualdade e o respeito à diversidade se unam para combater essa iniciativa prejudicial. Juntos, podemos reafirmar nosso compromisso com a justiça social e a igualdade para todos os cidadãos, independentemente de sua orientação sexual ou identidade de gênero.

compartilhe icone facebook icone twitter icone whatsapp