#PartiuBrasiloche: brasileiros invadem cidade da Argentina na temporada de neve

O inverno nos Andes tingiu a paisagem de Bariloche de branco. Neste momento, ocorre a maior transformação: a cidade carinhosamente passou a se chamar Brasiloche. Desde meados de junho, uma invasão de brasileiros tomou conta do lugar para curtir a tão sonhada neve. O Turismo traz dicas da cidade da Argentina que atrai milhares de turistas todos os anos

por Carlos Altman 01/08/2017 08:00

Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
Bariloche está localizada na famosa Patagônia Argentina, na base da cordilheira dos Andes e a poucos quilômetros da fronteira com o Chile (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )
São Carlos de Bariloche, um pedaço da Suíça perdido na Argentina, é sonho de consumo para muita gente que um dia quis ver e tocar a neve bem de perto. Esqueça aquela história de que, para ver neve, é necessário ir para os Estados Unidos ou para a Europa. Pura bobagem! Bariloche está mais perto, é muito mais barato, e tem uma estrutura turística impecável. Mesmo quem vem de um país tropical e não entende nada de neve vai encontrar todo tipo de equipamento de inverno para alugar, roupas e instrutores especializados para ajudá-lo a dar os primeiros passos (ou esquiadas). 

De junho a agosto é a época ideal para a prática desses esportes. E com a valorização do real em relação ao peso, não poderia haver uma ocasião melhor para esse passeio. Localizada na famosa Patagônia Argentina, na base da cordilheira dos Andes e a poucos quilômetros da fronteira com o Chile, esse recanto é cercado de montanhas e lagos e oferece uma paisagem de tirar o fôlego ao longo de todo o ano. A cidade fica à beira do lago Nahuel Huapi e revela seus encantos. Um lugar preferido dos amantes. Amantes gourmets, amantes de um bom vinho, amantes de aventura, amantes recém-casados e amantes por si só. 
Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
Garotada que sonha conhecer a neve faz a festa na estação de esqui na Argentina (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )

Qual casal nunca pensou em passar a lua de mel nesse lugar? Só de imaginar que fora dos hotéis e pousadas o frio cortante chega a menos 14 graus e que dentro os quartos estão aquecidos e aconchegantes não dá para querer outro lugar mesmo. Para os amantes da boa mesa, inúmeras fábricas de chocolate e restaurantes são um deleite ao prazer da gula. Nem precisa falar que a cozinha é uma das mais comentadas e elogiadas do mundo. A qualquer momento, sinta-se receber um convite de Baco e se entregue aos vinhos argentinos, de sabores inconfundíveis! Sem dúvida, Bariloche é uma cidade que tem tudo a ver com lua de mel. Imagine a mistura de neve, um bom vinho, um delicioso fondue, um hotel intimista, e o amor da sua vida… Tem tudo para dar certo, não é?

BRANCO TOTAL

 Por agradar visitantes de idades e estilos tão variados, Bariloche, que fica a 1.607 quilômetros de Buenos Aires, está na lista dos destinos mais visitados, principalmente por brasileiros. Não é à toa que a cidade foi carinhosamente apelidada de "Brasiloche", devido ao número de turistas tupiniquins que recebe. Um dos principais diferenciais da cidade é o fato de conciliar muito bem o clima de vilarejo e de cidade grande perfeitamente. Conhecida mundialmente por abrigar um grande número de pistas de esqui e meios de elevação, Bariloche tem toda a infraestrutura necessária para fazer com que você e sua família deslizem pela neve no inverno ou desfrutem de muito conforto e delícias presentes na região nas outras épocas do ano. A rivalidade existente no futebol entre Brasil e Argentina começa e termina no campo. Prova disso é que a maior parte dos funcionários e moradores da região turística faz a maior festa quando recebe turistas brasileiros e demonstram muita intimidade com a língua portuguesa.
Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
Do teleférico na subida ao Cerro Catedral se tem uma bela vista da cordilheira dos Andes (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )

Vai querer encarar o esqui na neve pela primeira vez? Saiba que lá tudo é feito com um cenário de fundo deslumbrante. A paisagem é repleta de morros, montanhas, águas cristalinas, rios sedutores e bosques bastante arborizados. Sua família não sabe esquiar ou nunca viu neve? Calma, não precisa se preocupar, pois há escolas situadas nos centros de esqui que ensinam a prática do esporte aos iniciantes. Para os mais experientes, há equipamentos e pistas diversificadas, de acordo com o nível do esquiador. Quando o assunto é esqui, a dica é o Centro Esportivo de Cerro Catedral, com 70 quilômetros de pistas diferenciadas para iniciantes, intermediárias e avançadas e para profissionais. Caso falte coragem a alguém da sua família, há outras opções de entretenimento além do esqui. Os visitantes ainda podem se deliciar com uma bela pista de patinação no gelo, um passeio de barco pelo Lago Nahuel Huapi ou um passeio a cavalo, onde é possível se hipnotizar com o espetáculo da natureza e várias atrações.
Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
No Centro Histórico é possível conhecer a cultura local, suas igrejas e bons restaurantes (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )

Depois de curtir um dia repleto de aventura, seja nos meses de inverno ou nos meses em que a temperatura está bem alta, nada melhor do que curtir a noite de Bariloche. Os pais podem optar por um jantar e desvendar os temperos da gastronomia local, que tem o famoso cordeiro patagônico e o curanto, que é preparado embaixo da terra e envolvido em folhas de nalca (planta da região). Já os jovens podem esquentar o clima nos bares e discotecas da cidade, que fervem com visitantes do mundo todo.

O tour cultural também deve entrar no roteiro de passeios. Bariloche traz igrejas, galerias de arte, catedrais e muitos museus, que refletem a história e a cultura da cidade. Outra forma para se inteirar da história da cidade é por meio de um passeio em um trem a vapor de 1912. Durante o trajeto, é possível contemplar a natureza e, ao mesmo tempo, saber um pouco mais da história. Por esse e outros motivos, arrume as malas da família e venha descobrir todas as maravilhas dessa cidade encantadora e que recebe tão bem os brasileiros!


Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
Cuidado especial com as crianças (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )

Passeios
Bariloche é uma cidade que pode ser visitada a pé. Essa é uma grande vantagem, pois as preocupações com o carro ou metrô não existem por lá. Há uma boa oferta de restaurantes e tem boa estrutura de turismo, com vários passeios disponíveis.

Circuito Chico
Passeio de meio dia visitando os principais pontos turísticos da cidade. Uma espécie de ''city tour''. Permite conhecer uma interessante variedade de pontos da costa do Lago Nahuel Huapi: Praia Bonita, Cerro Campanario, Hotel Llao Llao e Capela San Eduardo, Porto Pañuelo e Baía López, entre outros.

Centro Cívico
É um dos lugares mais bonitos do Centro. Monumento histórico nacional, seus edifícios em estilo medieval estão localizados em torno de uma pequena praça. Inaugurado em 1934, ali se encontram a prefeitura, a Secretaria Municipal de Turismo, Polícia local, Museu da Patagônia e Biblioteca Sarmiento.

Calle Mitre
Passeio obrigatório para o turista é o ''point'' da cidade. Mil lojas de casacos, moletons, artigos para esquiar, chocolates, lembranças, restaurantes, cachecóis, luvas, gorros, casacos de pele, presentes, mais chocolates, botas, recuerdos de madeira, peças de alpaca e lanchonetes etc. É a rua principal, onde todo mundo passa. Tem também farmácia e supermercado.


Cerro Otto
Boa maneira de ver o lago do alto. Localizado em um bonito parque de 25 mil metros quadrados, a apenas 5 quilômetros do centro cívico da cidade de Bariloche. Suba de teleférico e almoce na confeitaria giratória. A 1.405 metros sobre o nível do mar, a confeitaria gira 360 graus no tempo de 20 minutos, para que você, enquanto isso, se deleite observando uma paisagem fascinante. Curta a vista, aproveite para tomar chocolate quente e saborear um brownie



Cerro Campanário

Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
Cerro Campanário (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )

Teleférico, só que de cadeirinhas. Aos pares, sobe-se até ao topo da montanha, a 1.050m de altitude. Lá de cima a vista é maravilhosa, considerada a mais bonita de Bariloche! Há indicações com os nomes dos lagos, e é possível até avistar a fronteira com o Chile. Foi escolhida pela National Geografic como uma das 10 vistas mais bonitas do mundo.

Lago
Passeio de barco no lago Nauel Huapi é sensacional. Se o dia estiver bom, você vai ficar maravilhado com a combinação do azul da água do lago, das árvores, da neve e do céu azul. O velho barco Modesta Victoria, que faz os passeios pelo lago Nauel Huapi, é o mesmo em que Che Guevara passeou quando de sua viagem pela América Latina, contada no filme Diários da motocicleta. No livro de mesmo nome há uma foto de seu companheiro de viagem, Alberto Granado, a bordo do barco, tirada por Che.

Escola Infantil de Esqui
No Cerro Catedral existem várias escolas de esqui. Professores altamente capacitados ensinam os pequenos a arte de esquiar de uma maneira divertida e lúdica. Várias atividades são organizadas durante o dia, alternadas com as aulas na neve. As classes para crianças de 3 a 13 anos podem ser de meio dia ou dia inteiro.

Crianças
Como a temperatura no inverno chega a 6 graus negativos, e todos os lugares fechados são superaquecidos, é fácil se resfriar. Por isso, bastam alguns cuidados: levar do Brasil o que estiver acostumado (na Argentina, os 
remédios são diferentes). Por exemplo: vitamina C, rinossoro, remédio para resfriado, própolis, pastilhas para dor de garganta, febre, tosse, e até antibiótico de prevenção. Melhor ter e não usar.

Não pode faltar
Arnica - ótimo creme para eventuais tombos na neve... Bom para hematomas e alivia a dor. Útil para a família.

Para comer e beber
Depois de esquiar o dia todo, passear muito, curtir os lagos, nada mais gostoso que jantar fora! Bariloche e seus restaurantes requintados, aconchegantes, fondues deliciosos, carnes sensacionais... escolha um belo vinho nacional e... tim-tim! Os argentinos já têm fama mundial como produtores de vinhos. Sua uva malbec é apreciada. Repasso a recomendação de um especialista: os vinhos melhores estão na faixa acima de US$ 20. Na comida, o ponto forte é a carne. A truta também tem boa oferta.

Chocolates
Chocolates são uma oportunidade em Bariloche. Existem várias lojas especializadas distribuídas por cada canto da cidade. As mais famosas são Mamuschka, Casa do Chocolate, a Fenoglio e a Turista.

Para comprar
Que delícia fazer umas comprinhas, experimentar todos os chocolates, comprar os ''polares'' (moletons) quentinhos, botas para esportes mais radicais, coisas para casa, cerâmicas transadas... tudo de bom para você se lembrar dessa viagem tão linda! Quem viaja para esquiar pode aproveitar as lojas de Bariloche para comprar roupas para o esporte. Os artigos de couro também estão com bom preço.
Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação
Bariloche recebe competições internacionais de esportes na neve (foto: Secretaria de Turismo Bariloche/Divulgação )

Vestuário
Na hora de se vestir para esquiar é virar um sanduíche de roupas quentinhas para não passar frio: ceroulas ou minhocão, camiseta de baixo de mangas longas. Em cima, camiseta de mangas compridas e gola olímpica (importantíssimo), depois colete ou moletom. Depois outro moletom (chamado ''polar'' na Argentina, bárbaro, bem grosso) ou malha de lã. Calça de moletom e calça de skatista (náilon, tectel), meias de lã até os joelhos. Depois o anorak. Não deve ser muito acolchoado, mas que seja de tecido impermeável. Sim, deve ter capuz. É bom usar gorro e, se estiver muuuuito frio, compre aquelas toucas ninjas que cobrem tudo, só deixam os olhos aparecendo. Não se esqueça das luvas sensacionais ''para esquiar'', elas são fofinhas e quentinhas. Óculos para esqui são bons para proteger. Agora você já está pronto para colocar as botas de neve, que farão você andar e se sentir como um astronauta.

Cerro Catedral
A 21 quilômetros do Centro de Bariloche fica a Montanha de Cerro Catedral. Localizado a 2.400m de altitude, é o principal centro de esqui da América do Sul. Recebe turistas de todo o mundo e oferece mais de 30 meios de elevação para subir aos pontos de apoio dos esquiadores e visitantes, onde é possível desfrutar a neve e belíssimas paisagens. Mesmo para quem não esquia, é bonito ir ao Cerro Catedral ver a grande área de montanhas dedicadas aos esportes de inverno. Subir no bondinho que leva ao restaurante no topo da montanha é boa pedida. De lá, se o tempo estiver bom, pode-se ver a Cordilheira dos Andes até o Chile.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO