Desvende o Canadá: o agradável (distante) vizinho que abre as portas para o mundo

O Canadá, referência do multiculturalismo e do bilinguismo, completou 150 anos de independência no dia 1º deste mês. Por conta da hospitalidade, as cidades cosmopolitas e pela geografia sem igual, o país da América do Norte é o principal destino dos brasileiros na hora de fazer um intercâmbio. O Turismo mostra as principais cidades e faz um raio-x das atrações e suas histórias

por Carlos Altman 11/07/2017 07:12

Turismo Canadá/Divulgação
Toronto é a cidade canadense mais procurada pelos intercambistas brasileiros (foto: Turismo Canadá/Divulgação)
Sabe aquele vizinho que mora no fim da sua rua, com quem você tem pouco contato, mas que sempre o cumprimenta e convida para as festas na casa dele? Esse mesmo sujeito tem uma casa linda, com um jardim bem cuidado e se preocupa com o bem-estar de todos no bairro. É aquele camarada que não se envolve em confusões, respeita o espaço de todos e vive em uma família, aparentemente, feliz. Se o Canadá fosse uma pessoa, diríamos que esse seria o seu perfil.


Distante de nós, brasileiros, em mais de 9.300 quilômetros e, mesmo assim, não se cansa de abrigar imigrantes brazucas com incentivos de trabalho e estudos. Vamos desvendar um país fantástico na América Norte, que completou, este mês, 150 anos de independência e tem atraído cada vez mais a atenção de mineiros e brasileiros.
Silas Scalioni/EM/D.A Press -26/8/10
Vista de Lake Louise, Parque Nacional do Canada - Banf (foto: Silas Scalioni/EM/D.A Press -26/8/10)

No dia 1º de julho de 1867, três colônias britânicas – Província do Canadá (atuais Ontário e Québec), Nova Brunswick e Nova Escócia – se uniram para proclamar o Ato da América do Norte Britânica, um ato constitucional que estabelecia a formação do Canadá e oficializava sua independência da Grã-Bretanha. Desde aquele ano, nessa mesma data, celebra-se o Dia do Canadá, aniversário do país. Em sua breve história, o Canadá firmou-se como nação-modelo para o mundo inteiro. O país é referência mundial em saúde, segurança e, principalmente, educação.

Culturalmente, o Canadá representa “o lugar onde todos pertencem” – é um país bilíngue, com o inglês e o francês como idiomas oficiais, e plural. “O Canadá se destaca ainda como um dos países que mais investem em educação, ocupando o sétimo lugar no ranking divulgado em 2016 pelo Programa Internacional para Avaliação de Estudantes, o Pisa (Programme for International Student Assessment)”, afirma Peter Visser, Diretor Pedagógico da Maple Bear Belo Horizonte e Nova Lima.

DE LESTE A OESTE

Turismo Canadá/Divulgação
Montreal, no lado francês do Canadá, é uma cidade de contrastes entre a arquitetutua Vitoriana e o moderno (foto: Turismo Canadá/Divulgação)
O país mais ao Norte das Américas convive com temperaturas extremas em suas estações do ano. Se, agora no verão, cidades como Quebec e Vancouver são um convite ao calor, com os termômetros batendo os 35 graus, no inverno, a população literalmente congela. O país sofre com a ação das massas polares e as temperaturas podem chegar na casa dos 40 graus negativos. No intuito de evitar que seus moradores ou turistas morram de hipotermia ou que se corra o risco de parar a produção do país, cidades como Montreal e Toronto resolveram o problema de forma simplificada – criaram verdadeiras cidades subterrâneas. Uma rede de túneis se estende por mais de 35 quilômetros ligando casas, hotéis, prédios públicos e monumentos. Daqui em diante vamos apresentar pra você as principais cidades canadenses e mostrar as belezas desse jovem país encantador.


Montreal, na Província do Québec, na realidade é uma grande ilha. Preservada, festiva e organizada, a cidade canadense se destaca pelos prédios antigos bem conservados, pela agitação dos festivais culturais, gastronômicos e por conta dos eventos esportivos. Ela é a maior cidade fora da França onde o idioma oficial é o francês.

Em uma visita a Ville-Marie (Centro da cidade) o turista se encanta com a arquitetura em estilo vitoriano das casas e prédios na Old Montreal ou Vieux-Montréal. Agora no verão, a região do porto velho recebe festivais de música ao ar livre e é ideal para patinação e passeios de bicicleta. Bem próximo de lá, o turista poderá conhecer Chinatown e Little Italy. A palavra de ordem para conhecer a cidade é percorrer cada região a pé ou de bicicleta. O metrô é outra excelente opção para os bairros mais distantes.

Há 20 anos, o médico mineiro Guilherme Pedroso escolheu a cidade para fazer intercâmbio. “Durante um ano em que estive em Montreal fiquei impressionado com a quantidade de eventos culturais gratuitos espalhados pela cidade. Mas o inverno rigoroso me assustou muito. A sorte é que existe a Réso (rede subterrânea)”, Lembra
Turismo Canadá/Divulgação
Catedral de Notre-Dame de Monteal (foto: Turismo Canadá/Divulgação)

Para os amantes da cultura, Montreal tem dezenas de museus, como os mais famosos: Centre d'histoire de Montréal e o Château Ramezay – Historic Site and Museum of Montréal. Veja outras atrações turísticas de Montreal: Basílica de Notre-Dame; Marché Bonsecours (Mercado Municipal de Montreal); Boulevard Saint-Laurent; Tenda do Cirque Du Soleil; Le Marché du Vieux-Port; Rue St-Paul; St-Viauteur Bagel; Parque Olímpico e Estádio Olímpico; Planetarium e Botanical Garden (Jadin Botanique de Montreal)

CHARME FRANCÊS

Turismo Canadá/Divulgação
Château Frontenac, famoso cartão-postal do Canadá, fica na parte alta da cidade de Quebec (foto: Turismo Canadá/Divulgação)
Outro lugar que remete à França é a Ville du Québec. A cidade, no lado Leste do Canadá, é um tesouro arquitetônico preservado. O que mais se destaca nela é a Old Ville (Vieux-Québec), circundada por uma grande muralha de quatro quilômetros, que divide a Haute Ville (cidade alta) da Basse Ville (cidade baixa). Na parte alta estão o Château Frontenac, famoso cartão-postal do Canadá, o Terrase Dufferin, um deque com vistas para o rio e para o castelo, a Place de l’Hôtel-de-Ville e a basílica de Notre Dame du Québec (a primeira paróquia católica da América do Norte). Na cidade baixa se encontra a Place Royale, o Old Port, o Musée de la Civilisation, o Musée de la Place-Royale e a igreja de Notre-Dame-des-Victoires. Ao caminhar pela Rua Saint-Paul, as lojas, cafés e galerias pedem uma pausa para apreciar cada detalhe da região.

La Citadelle, uma fortaleza do século 16 que fascina os visitantes, se encontra às margens do Rio São Lourenço. O local, carregado de história, simboliza a batalha entre Inglaterra e França pelo território e abriga atualmente o museu militar e o 22º Regimento Real do Canadá.

Encontro de povos

A CN Tower, de 553 metros de altura, é um ponto de observação mundialmente conhecido e a atração turística mais visitada do Canadá
A maior cidade da Província de Ontário, Toronto, que significa “ponto de encontro”, faz jus ao seu nome por abrigar mais de 100 comunidades estrangeiras, que desde o final do século 19 tem recebido muitos imigrantes. Misturam-se com as paisagens cinematográficas sotaques orientais, asiáticos, africanos e sul-americanos que brindam os turistas com bairros como Koreatown, Chinatown, Little Italy, Little India e Greektown.
EdgeWalk/Divulgacao
Libere a adrenalina ao caminhar na parte externa no topo da CN Tower, em Toronto (foto: EdgeWalk/Divulgacao)

Um roteiro básico pela cidade pode começar por Downtown, de onde se vai a pé até a CN Tower (a torre de 553 metros de altura é um ponto de observação mundialmente conhecido e a atração turística mais visitada do Canadá); se gosta de esportes, ir ao Rogers Centre vale a pena; uma ida a Stream Whistle Brewery em boa companhia para conhecer a fabricação e degustar a famosa cerveja canadense; conhecer um pouco das margens do Lago de Ontário pela extensão do Harbourfront Centre, um complexo de lojas, restaurantes e espaços públicos com atrações nas águas do lago. O Museum of Art Inuit também está nesse local. Ainda a pé, no caminho para St Lawrence Market & Hall, vale uma parada no Hockey Hall of Fame para ver de perto as conquistas do hóquei no gelo e a trajetória de grandes atletas do esporte.

Arquivo pessoal
A estudante mineira Carolina Caram escolheu Toronto para fazer o doutorado (foto: Arquivo pessoal)
No início deste ano, a jovem Carolina Caram escolheu fazer parte do doutorado em Toronto. A belo-horizontina, estudante de enfermagem, ficou impressionada com os contrastes arquitetônicos da cidade canadense. “No meio da floresta de prédios é possível encontrar construções antigas extremamente conservadas, das quais muitas estão abertas para visitação! Castelos, igrejas e até as escolas da Universidade de Toronto (UofT) contam histórias só pela vista! Cheguei no inverno e o frio é inexplicável, mas de uma beleza estonteante! A neve e as árvores secas parecem fotos! Daí a primavera chega, o humor da cidade muda e eu me dei conta de que a cidade é completamente arborizada! Fui entender o motivo com a chegada do verão, que é quente como no Brasil e as árvores e os parques (High Park e Victoria Park) se tornam o refúgio, assim como as inúmeras "praias" (lago Ontário) espalhadas na cidade. A minha dica para o turismo é não perder os passeios clichês como CN Tower, aquário, zoológico, casa loma, museus e dar um pulo para ver as Cataratas do Niágara (uma hora de carro) e pegar o bote para ver de pertinho a queda”, alegra-se Carol.
Silas Scalioni/EM/D.A Press -26/8/10
O lado canadense das Cataratas do Niágara fica a 120 quilômetros de Toronto (foto: Silas Scalioni/EM/D.A Press -26/8/10)

Capital histórica

Com influência inglesa, a capital do Canadá, Ottawa, está localizada entre Montreal e Toronto. Multiétnica, a cidade recebe muitos intercambistas de várias partes do mundo e, principalmente, do Brasil. No verão, a capital canadense é ainda mais agitada com a presença dos estudantes que circulam pelas ruas, praças e monumentos históricos, como o The Parliament Hill, às margens do Rio Ottawa. Além dos belos jardins, outra grande atração do Parlamento é a troca de guarda, todas as manhãs, às 10h , entre os meses de junho e agosto. E nessa mesma época é realizado o show de luzes e as visitas noturnas. Não deixe de visitar a biblioteca do Parlamento, um belo edifício neogótico que sobreviveu a um incêndio em 1916.
Ottawa Tourism/Divulgação
Canal Rideau, um dos principais pontos turísticos de Ottawa, é parada obrigatória para os visitantes (foto: Ottawa Tourism/Divulgação)

Patrimônios mundiais da Unesco, o Bytown Museum e o Rideau Canal estão intimamente ligados à história da formação de Ottawa. A hidrovia foi construída para defender essa parte do território e o Bytown (o primeiro nome de Ottawa) era a edificação usada como base militar.

Ao logo da Sussex Drive estão, aproximadamente, 100 lojas, restaurantes e cafés. Além de prédios importantes da cidade, como a National Gallery of Canada ou Musée des Beaux-Arts du Canada. No verão, alguns trechos da Sussex são fechados para automóveis  e é possível andar de bicicleta, patinar e fazer caminhadas. Nessa mesma via se encontra o ByWard Market ou The Market – a cultura local traduzida em sabores. Nesse mercado a céu aberto é possível degustar algumas delícias enquanto se conhece mais a fundo o que é vendido nesse tradicional mercado de Ottawa. Outro ponto imperdível da Sussex Drive é a Notre-Dame Cathedral. A ornamentação e as cores chamam a atenção nessa que é uma das poucas igrejas da cidade.

O Gatineau Park merece ser visitado em qualquer época do ano. O turista vai poder se deliciar em atividades como patinação, esqui, trilhas, observação da natureza selvagem, natação e acampamento, que atraem muitos turistas a Ottawa.

No inverno, aproveite para conhecer com calma os acervos dos museus, os detalhes internos dos prédios do Parlamento, a patinação no Canal Rideau, inteiramente congelado, é uma das mais charmosas atrações de Ottawa. A vida noturna de Ottawa é bem servida de música de diferentes estilos, boas bebidas nos pubs, dança, teatro e orquestra no Centro Nacional de Artes.

•  Balneário no Pacífico
Turismo de Vancouver/Divulgacao
Vista da Lions Gate Bridge sobre a baía de Vancouver (foto: Turismo de Vancouver/Divulgacao)

Considerada uma cidade jovem e cosmopolita, Vancouver , na costa oeste do Canadá tem um viés de preservação da natureza e sustentabilidade muito acentuado, mesmo sendo urbanizada e cheia de prédios modernos. Para admirar a beleza dessa cidade basta fazer uma visita ao Mirante de Vancouver Lookout, no Harbor Center. Lá do alto da plataforma se avista, em 360°, a Lions Gate Bridge, a Grouse Mountain, o Mount Seymour e o porto.

Antes de cair de cabeça nas riquezas naturais de Vancouver, não deixe de explorar o lado urbano da cidade.  Ao andar na Public Market, na Granville Island, se percebe como a gastronomia local é nobre,  com produtos frescos e de qualidade.

No verão, a cidade é ainda mais atrativa, e os moradores locais saem às ruas e praticam atividades físicas ao ar livre. Pelas ciclovias, ciclofaixas ou caminhando é possível conhecer alguns pontos turísticos de Vancouver como o Stanley Park. Nele, é possível desfrutar a imensa área verde, as belas praias, os jardins floridos, a vida selvagem e tantas outras atrações.

Arquivo Pessoal
O dentista Paulo Maduro conseguiu recentemente a cidadania canadense (foto: Arquivo Pessoal)
O dentista mineiro Paulo Maduro desembarcou em Vancouver, em pleno verão de 2011. Não cansa de elogiar a organização do país da América do Norte “Cheguei no Canadá em Junho de 2011, com o sonho de morar num país de sociedade mais justa onde os direitos de todos os cidadãos são realmente assegurados. Escolhi Vancouver pela sua beleza, suas praias e montanhas, o maior parque do Canada: Stanley Park e o inverno menos rigoroso de todo o país. Adoro a cultura, a segurança e as oportunidades desde país. O que pesa, é a saudade da família e dos amigos no Brasil”.

Outros parques
 Marlyana Tavares/EM/D.A Press - 3/7/13
Parque Capilano - Cliffwal (foto: Marlyana Tavares/EM/D.A Press - 3/7/13)

Um dos mais belos e procurados locais de Vancouver é conhecer o Capilano Suspension Bridge Park. Imagine poder andar sobre as copas das árvores, a 70 metros do Rio Capilano, sentir o cheiro da floresta do alto pelo Treetop Adventure ou perder o fôlego na plataforma estaiada Cliffwalk.

» Lynn Canyon Park – Também oferece travessia em ponte suspensa, uma versão menor, mas igualmente interessante. Os visitantes procuram trilhas, espaços para piqueniques e cachoeiras;
» Grouse Mountain – Práticas de esqui, snowboard e patinação no gelo atraem milhares de turistas todos os anos. No verão, a montanha é frequentada para passeios em trilhas, observação de aves de rapina e caminhadas por trilhas, com opções tanto para amadores como profissionais.
» English Bay – As praias de Vancouver são bem frias comparadas aos padrões brasileiros. Ao lado do Stanley Park, no verão, é o um point para avistar o pôr do sol,  entre as 21h e as 22h, considerado o mais bonito do Canadá.

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO