Buenos Aires é logo ali. Que tal curtir um tango neste fim de semana?

Facilidade para chegar ao destino, como voos diretos e diários, além de promoções, atraem mineiros

por Estado de Minas 17/03/2017 19:27

Carlos Altman/EM
Com suas casas muito coloridas, Caminito é uma galeria de arte a céu aberto (foto: Carlos Altman/EM)

A capital argentina tem seu charme, isto é inegável. A segunda maior metrópole da América Latina – atrás apenas de São Paulo – mesmo estando a mais de 2 mil quilômetros de Belo Horizonte, é um dos destinos de que os mineiros mais gostam. A frequência de promoções de passagens aéreas, talvez, seja o maior atrativo para os turistas, além do fato de estar saindo do país. Existem voos diários de Belo Horizonte para Buenos Aires, com duração média de 3 horas, situação que favorece um passeio de três dias.



Buenos Aires, nomeada oficialmente de Ciudad Autonoma de Buenos Aires, está situada na costa ocidental do Rio de La Plata, o maior estuário do mundo, passando pelo Uruguai e desbocando no oceano atlântico. A cidade tem verões quentes, com fortes chuvas e temperaturas médias de 25 graus. Já o inverno é suave, apresentando apenas chuviscos e temperaturas que, raramente, chegam a zero grau. A arquitetura da cidade apresenta mistura dos estilos espanhóis, italianos e franceses, além de pontos turísticos famosos. Como não poderia faltar, a noite porteña também reserva muita agitação, com casas noturnas e várias apresentações de tango.

Carlos Altman/EM
Senõr Tango (foto: Carlos Altman/EM)


A hospedagem é um ponto importante da viagem. Leva vantagem aquele que se hospeda na área mais central, podendo caminhar e conhecer melhor pontos como o Obelisco e as imensas avenidas 9 de Julio e Corrientes. São inúmeras as opções para acomodação, como bed&breakfast, apartamentos para aluguel, albergues e hotéis. Vale ressaltar o Alvear Palace Hotel, o mais famoso da cidade, com suítes a partir de R$ 1.500 a diária.

PASSEIO PROGRAMADO

Carlos Altman/EM
Casa Rosada, sede do governo (foto: Carlos Altman/EM)
 Por se tratar de uma cidade muito grande, os turistas que forem à terra dos los hermanos deverão se organizar adequadamente, já tendo em mente os passeios que querem realizar. A Casa Rosada, por exemplo, é um dos passeios imperdíveis. Sede da presidência do país, o edifício tem a sua fachada pintada de rosa desde 1870. Algumas teses apontam que o motivo da cor seria representar a união de dois partidos políticos, ou até mesmo o uso de sangue bovino misturado na tinta. Caso seja de interesse, existe uma visita guiada gratuita dentro do local, sempre nos fins de semana e feriados. Logo ao lado fica a Plaza de Mayo, denominada coração político da capital argentina. O local é e já foi palco de diversas manifestações.

 

VisiteBuenosAires/Divulgação
Obelisco, que fica na maior avenida de Buenos Aires, a 9 de Julio é um dos lugares para se visitar (foto: VisiteBuenosAires/Divulgação)

Ainda na região central temos os pontos já supracitados: o Obelisco, localizado no cruzamento das avenidas 9 de Julio e Corrientes, é um monumento importantíssimo para os argentinos. Com 67 metros, foi construído em 1936, em alusão aos 400 anos da cidade. A avenida 9 de Julio é a maior do país, também conhecida como a mais larga do mundo, com sete pistas de cada lado da via. A Corrientes também é muito movimentada, famosa pelos teatros e estátuas de artistas argentinos na calçada. Falando em teatro, uma visita ao Teatro Colón não pode ser esquecida. O palco apresenta riqueza enorme e acústica apurada, considerada a principal casa de ópera da Argentina. Com capacidade para 2.487 espectadores, o local reserva visitas guiadas todos os dias da semana, das 9h às 17h, com saídas a cada 15 minutos.

VisiteBuenosAires/Divulgação
Puerto Madero (foto: VisiteBuenosAires/Divulgação)

Saindo do Centro para se aventurar na cidade, o Bairro Puerto Madero é um destino quase obrigatório. O bairro é portuário e abriga diversos escritórios de grandes empresas, além de restaurantes famosos, bares, hotéis de luxo, um cassino flutuante e a Fragata Sarmiento, primeira embarcação do país que, atualmente, funciona como museu. Vale destacar que esse navio foi construído na cidade de Liverpool (Inglaterra) em 1897 e já visitou mais de 40 países, tendo percorrido cerca de 1,87 milhão de quilômetros.

MUSEU

Carlos Altman/EM
Caminito, no bairro La Boca (foto: Carlos Altman/EM)
 Outro ponto muito visitado por turistas é o Caminito, rua tradicionalíssima, que é um museu a céu aberto. Situada no Bairro La Boca, onde também se encontra o estádio La Bombonera, do Clube Atlético Boca Juniors, a rua tem diversas casas coloridas, dos antigos imigrantes. As cores são vivas e chamativas, isso porque os antigos europeus que ali moravam utilizavam as tintas que sobravam do porto para pintar suas casas. O estádio da Bombonera também atrai diversos turistas, principalmente os amantes do futebol. Dentro do próprio estádio existe um museu do clube, chamado Museo de la Pasión Boquense. Ao pagar a entrada, o cliente tem o direito de acessar a parte da arquibancada. Contudo, também existe a opção da visita guiada – que dura cerca de 1 hora. As visitas vão das 10h às 18h, podendo sofrer alternação em dias de jogos do Boca Júniors.

 


Carlos Altman/EM
Cemitério da Recoleta (foto: Carlos Altman/EM)

Por fim, visitar o cemitério da recoleta também é um passeio indispensável para quem está indo pela primeira vez a Buenos Aires. Pode parecer estranho, mas o cemitério é muito visitado e considerado um museu. Ali estão enterradas as figuras mais importantes da política, arte, ciência e cultura da Argentina. As tumbas chamam muito a atenção pelo tamanho, com estruturas faraônicas. Existem entradas para o subsolo das sepulturas, sem acesso aos turistas. A visita é gratuita e vai das 8h às 18h.

 

Carlos Altman/EM
(foto: Carlos Altman/EM)
 

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO