Praia do Forte: um oásis na Bahia

O distrito do município de Mata de São João, no litoral baiano, é o que se pode chamar de lugar incomum. A 80 quilômetros de Salvador possui 14 quilômetros de faixa litorânea preservada

por Iracema Amaral 24/01/2017 07:00

Fred Bottrel/EM
Faixa litorânea preservada, cada canto desse local guarda visuais paradisíacos, com areias claras e mar cristalino repleto de cardumes coloridos (foto: Fred Bottrel/EM)
O centro do agito da Praia do Forte ocorre ao longo da Alameda do Sol até a Praça de São Francisco, onde está a igreja de mesmo nome. Ali você vai encontrar artesanatos típicos, barraquinhas de acarajé e cocadas, sorveterias, bares e restaurantes. Nos fins de semana, shows de artistas locais dão ar ainda mais festivo à vila.

Antiga vila de pescadores, a Praia do Forte está localizada no distrito homônimo, no município de Mata de São João, que teve que se adaptar ao comércio e aos serviços abertos para atender o turista.
Eduardo Moody/Divulgação
Lojas, restaurantes, barracas de artesanatos e comidas típicas agitam o lugarejo (foto: Eduardo Moody/Divulgação)

Apesar da forte transformação das últimas décadas, a Praia do Forte é hoje um dos pontos mais fortes de ecoturismo do litoral baiano. Esse apelo se deve aos resorts na região e, em especial, ao trabalho das equipes do Projeto Tamar e do Instituto Baleia Jubarte para preservar as espécies ameaçadas de extinção.



As ruínas do Castelo Garcia d'Ávila são outro destaque do local. Trata-se da primeira fortificação portuguesa em terras brasileiras. Mesmo em ruínas, ainda assim a visita vale a pena, pela caminhada em passarelas suspensas do antigo castelo. A perder de vista, o visual dos coqueirais e do mar completam o passeio imperdível.



Na Praia do Forte, começou um dos projetos de preservação ambiental mais conhecidos do Brasil, o Tamar. Há 30 anos, nascia ali, no litoral baiano, um dos 29 pontos fincados no litoral brasileiro para estudar e proteger tartarugas marinhas. Para se ter uma ideia da importância desse trabalho, das sete espécies catalogadas no mundo, quatro se encontram na costa brasileira.

Projeto Tamar/Divulgação
Projeto Tamar teve início há quase 40 anos, na Praia do Forte (foto: Projeto Tamar/Divulgação)

Pelo pioneirismo, o Tamar da Praia do Forte é a principal sede do projeto. Ali, encontramos tanques e aquários onde vivem tartarugas e peixes. O ponto alto da visita é o Yellow Submarine (Submarino Amarelo). Na entrada, uma sala onde é projetado um vídeo que conta a história das tartarugas e suas peculiaridades para sobreviver. Basta lembrar que uma tartaruga leva 30 anos para ter a sua primeira cria.

O Yellow Submarine é alusão a uma das famosas canções do quarteto de Liverpool, The Beatles. Aliás, as imagens do vídeo são embaladas pela música. Dentro do "submarino" uma surpresa congelante: uma sala climatizada, onde se encontram aquários com seres que habitam profundidades que variam de 200m a 1.300m de profundidade.

A barata marinha chama a atenção pela semelhança com a "irmã" terrestre e, de todos os animais do aquário, é a única que pode ser tocada. Isso para você ter uma ideia de que essas bichinhos sobrevivem a qualquer tipo de convivência inóspita.

Outro destaque também do "submarino" do Tamar é o tubarão de 30 centímetros. Parece um dálmata marinho. Pena que o ambiente não permitia fotos, senão dava para provar para quem ainda não viu a semelhança do tubarãozinho com o cão, cuja raça traz no corpo manchas pretas.

Entre julho e novembro, as baleias jubarte migram para as águas quentes e tranquilas do litoral norte da Bahia para acasalar e dar à luz. Nesse período, elas podem ser vistas da costa, exibindo suas barbatanas, borrifos e corpos inteiros em eventuais saltos para fora da água. Os passeios para turistas são feitos por operadoras credenciadas, em parceria com os biólogos do Instituto Baleia Jubarte.


MATA ATLÂNTICA

 

Iracema Amaral/em/D.A Press
Piscina tem 1.350m² e espreguiçadeiras duplas dentro d'água para o deleite do hóspede do Tivoli Ecoresort (foto: Iracema Amaral/em/D.A Press)
A mata atlântica no Brasil é uma pálida lembrança do que foi um dia esse cenário de biodiversidade. Do pouco preservado, algo em torno de 12%, 500 mil hectares estão na reserva da Sapiranga.São mais de 500 hectares de mata atlântica preservada. Além do Centro de Visitantes, com biblioteca temática e um pequeno museu sobre a fauna regional, há 10 trilhas.

Outro local onde se pode conferir o pouco que restou da mata atlântica está entre os resorts da região. Um deles, o Tivoli Ecoresort Praia do Forte, faz desse tesouro da natureza forte aliado de sua arquitetura. Todos os 287 apartamentos com varandas "abraçam" a natureza, sem dela destoar. Em 300 mil metros quadrados de área, carrinhos elétricos ajudam no deslocamento dos mais preguiçosos ou com limitações para locomoção a pé.

Quem quiser pode andar sob coberturas, que ligam todos os ambientes de área construída, que ficou com cerca de 11% do terreno total.
Fred Bottrel/EM
Praia do Forte é ideal para curtir momentos de prazer e relaxamento (foto: Fred Bottrel/EM)

Recentemente, o resort inaugurou uma piscina no coração do empreendimento, com 1.350 metros quadrados e espreguiçadeiras duplas dentro d’água. Há 30 anos no local, o Tivoli Ecoresort Praia do Forte tem outras piscinas, incluindo espaço reservado para a recreação das crianças.

Para os adultos, o SPA do resort é uma boa pedida. São 4 mil metros quadrados com salão de beleza, fitness center e área de relaxamento. No local, uma jacuzzi climatizada com hidromassagem, três saunas, circuito bitérmico, tanque de água gelada e caminho das pedras. Além disso, 25 salas privativas para dezenas de tratamentos, como massagens e estéticos.

 



* A repórter viajou a convite da Tivoli Hotels & Resorts

 

» Como ir:

Aéreo BH/Salvador/BH – 
R$ 672 mais taxas, saindo amanhã e retornando quarta (1º/2), pela Azul (pesquisa feita ontem, na decolar.com)

» Onde ficar:

Tivoli Ecoresort Praia do Forte
Av. do Farol – Praia do Forte – Mata de São João (BA)
(71) 3676-4000
Reservas: reservas.htpf@tivolihotels.com

Hotel Eco Atlântico
Rua Praça dos Artistas, s/nº – Praia do Forte – Mata 
de São João (BA)
(71) 3676-1366
Reservas: reservas@ecoatlantico.com.br 

Pousada Ogum Marinho
Alameda do Sol, 609 – Praia do Forte – Mata de São João (BA)
(71) 3676-1165
Reservas: atendimento@ogummarinho.
com.br 

» o que visitar:

Projeto Tamar Praia do Forte
Av. do Farol, s/nº – Zona Rural – Mata de São João (BA)
(71) 3676-032
Funcionamento: diariamente, das 8h30 às 18h (horário especial de verão 
até 5 de março)
Entrada: R$ 22

Instituto Baleia Jubarte
Av. do Farol, 2.907 – Mata de São João (BA)
(71) 3676-1463
Funcionamento: alta estação (janeiro e fevereiro): de terça a domingo, das 9h30 às 19h30; baixa estação (março a dezembro): de terça a domingo, das 9h30 às 18h30
Entrada: R$ 8 (inteira); 

R$ 4 (meia) 

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO