Hummmm. gastronomia de dar água na boca

Cercadas pela água salgada, as Ilhas Cayman têm os frutos do mar como os principais ingredientes de sua gastronomia. A inspiração pode ser caribenha, norte-americana ou europeia. E o objetivo é atender a todos os tipos de paladares.

28/12/2016 19:45
Graziela Reis/EM
Deliciosos peixes e frutos do mar são um convite para jantar fora (foto: Graziela Reis/EM)
No Rum Point, mais despojado, é possível tomar drinks típicos, apreciar um almoço com o barbecue tradicional dos EUA, curtir espreguiçadeiras e ter acesso a um pier que avança mar adentro e ser recebido pelas gaivotas. Ali, o programa é para o dia, mas também há festas noturnas.
Para almoços e jantares, não faltam opções de alto padrão. Os hotéis, inclusive, oferecem boas alternativas, aberta a frequentadores que não estão hospedados em seus quartos. É o caso do Anchor & Den, do Marriott. No cardápio, desde sanduíches a partir de CI$ 14, até um robalo grelhado acompanhado de vegetais de CI$ 31. A garrafa de vinho, para acompanhar, custa a partir de CI$ 35.
 
Chefs requisitados mundialmente também assinam cardápios em Cayman. Um bom exemplo é Eric Ripert (chef francês com três estrelas Michelin no restaurante Le Bernardin de Nova York). Ele é o responsável pelo Blue, uma das pérolas incrustadas no Ritz-Carlton. É possível fazer a reserva para almoço ou jantar mesmo sem ser hóspede.
 
Graziela Reis/EM
(foto: Graziela Reis/EM)
Em outros restaurantes da ilha também há profissionais de peso, que se aprimoram nos frutos do mar. Nas ilhas é possível apreciar desde o Lion Fish, praga nos mares do Caribe por ser um feroz predador das espécies nativas, até tartarugas; além de caranguejos, polvos, lagostas e camarões de tamanhos diversos. Peixes há para todos os gostos, de anchovas a garoupas frescas até os tradicionais salmão e atum.
 
No Blue Cilantro, o chef indiano Vidyadhara Shetty, é responsável por uma orquestra de sabores. Se a ideia for pedir pratos individuais, boas pedidas podem ser o camarão jumbo e o snapper (anchova) acompanhado por risoto de cogumelos, além de uma espécie de bolo de caranguejo que impressiona pelo inusitado. No cardápio também há alternativas de menu combinado. Há quatro pratos (duas entradas, um principal e uma sobremesa) a partir de CI$ 70. Ou seis pratos a partir de CI$ 120. No Cracked Conch, o ambiente ao ar livre e à beira-mar, convida também para os frutos do mar. Ali, é possível experimentar o Lion Fish em prato acompanhado por lagosta por CI$ 44. Outras opções interessantes são o Morgan’s, com destaque para os camarões gigantes, e o Lobster Pot, que como não poderia ser diferente por causa do nome, tem as lagostas como carro-chefe.


Graziela Reis/EM
(foto: Graziela Reis/EM)

Dias nublados
No Camana Bay – centro de compras de alto padrão opção para dias nublados com torre que permite ver ao longe vários pontos da ilha – também há boas pedidas para almoço, jantar e até sorvete. Na época de halloween, por exemplo, havia o sorvete de abóbora era atração na Gelato & Co. No asiático, Mizu, também é possível apreciar um saboroso almoço ou jantar sem se preocupar com quedas d’água normais na região do Caribe em determinadas épocas do ano. E uma alternativa para um café completo ou lanche leve em dias assim pode ser encontrada no Icoa, em West Bay Road.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO