Nos passos de Tiradentes

Distante 200 quilômetros de BH, cidade tem clima pacato, cenário mineiro e floresta onde nasceu o inconfidente

por Gustavo Perucci 22/11/2016 07:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Fernando Souza/EM/D.A PRESS
Unidade de conservação federal, a Floresta Nacional de Ritápolis abriga flora e fauna ricas (foto: Fernando Souza/EM/D.A PRESS )


Quem chega à pequena Ritápolis, na Região Central de Minas, a 204 quilômetros de Belo Horizonte, se depara com o típico cenário mineiro. Só que o município, vizinho das históricas São João del-Rey e Tiradentes, guarda seus próprios tesouros. Além do clima pacato, cozinha e doces mineiros e construções que remontam à corrida do ouro, sua principal praça carrega o nome e estátua do filho mais ilustre da cidade: ninguém menos que Joaquim José da Silva Xavier, mártir da Inconfidência Mineira.
Conhecida como Berço da Liberdade, a Fazenda do Pombal é o exato local de nascimento de Tiradentes. Ao chegar ao sítio histórico, o visitante se depara com um clima agradável, belos jardins e estruturas e instalações muito bem cuidadas. A atração principal são as ruínas do engenho de cana-de-açúcar erguido pelo pai do inconfidente, há quase três séculos. Além da produção de açúcar, a extração do ouro era outra atividade na fazenda.


Para ajudar ainda mais a conservação do local de nascimento de um dos personagens mais importantes da história do estado, a fazenda faz parte da Floresta Nacional de Ritápolis (Flona de Ritápolis), reserva ecológica administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA).
Refúgio da vida animal e de proteção da flora, fauna e mananciais hídricos, diversas espécies de mamíferos (algumas ameaçadas de extinção) vivem na mata nativa do local. Tatus, raposas, tamanduás, capivaras, lontras e lobos-guarás deixam o passeio ainda mais interessante, assim como as maritacas, jacus e tucanos, entre outras aves da região. A Flona de Ritápolis tem o maior e mais importante viveiro de mudas de toda a região, onde espécies nativas são cultivadas para projetos de recuperação ambiental, plantas medicinais e ornamentais.


Durante o passeio, o visitante é apresentado à história de Tiradentes e conhece todas as dependências da fazenda. Depois da apresentação, os turistas podem continuar a explorar o sítio, fazer piquenique, contemplar a natureza e levar mudas de árvores, mel ou própolis produzidos no local.

 

A Flona encontra-se aberta ao público
gratuitamente das 7h às 11h e das
12h às 16h, somente em dias úteis. 

 

 

Eduardo Fiche Almeida/Divulgação
Hotel-fazenda da Cachoeira é uma das opções de hospedagem na região (foto: Eduardo Fiche Almeida/Divulgação)

 

O cenário bucólico do interior de Minas dá todo o charme a Ritápolis. Ruas onde o tempo parece passar mais devagar, a praça principal com sua bela igreja do século 18, culinária e doces mineiros de dar água na boca, artesanato e, claro, muita hospitalidade. Em frente à Praça Tiradentes, que conta com uma estátua do inconfidente, fica o Santuário de Santa Rita de Cássia, simpática igreja que nasceu de uma capela construída ainda no século 18. A paróquia foi fundada em 1854. Conhecida como Santa das Causas Impossíveis, Santa Rita de Cássia é homenageada todos os anos na cidade há mais de um século e meio.
Quem gosta de contato com a natureza, trilhas ecológicas na mata atlântica e cerrado levam a belas cachoeiras, cursos d’água e grutas. Uma das quedas d’água mais conhecidas da região é a Cachoeira Jabuiú. Localizada em uma propriedade particular, fica aberta nos fins de semana e conta com boa estrutura para receber o visitante. A cidade também abriga o lendário Rio das Mortes, palco da Guerra dos Emboabas, batalha travada de 1707 a 1709 pelo direito de exploração das jazidas de ouro recém-descobertas na região.

EM VOLTA Próximo a Ritápolis, o visitante pode conhecer as cidades históricas de São João del-Rei e Tiradentes. Mas outros vilarejos e pequenos municípios da região deixarão o passeio ainda mais completo. Vitoriano Veloso, distrito de Prados, é mais conhecido como Bichinho e atrai turistas de todo o país interessados em seu famoso artesanato, que tem de peças de decoração a móveis. Vale a visita com direito a almoço.
E quem gosta de degustar uma pinga não pode deixar de ir a Coronel Xavier Chaves, onde se encontra o engenho mais antigo do país. Na propriedade, que pertenceu ao irmão de Tiradentes, é produzida a cachaça Século 18, até hoje administrada por descendentes do inconfidente.

 

MEMÓRIA

Projeto que ainda não saiu do papel, a construção do Museu-Memorial Tiradentes é esperada com expectativa pela população de Ritápolis. Mais que um incremento ao turismo da região, o resgate e a preservação da história da região são de extrema importância. A ideia nasceu de parceria entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto da Liberdade e Universidade Federal de São João del-Rei
e contaria com projeto assinado por ninguém menos que Oscar Niemeyer. A previsão
é de que o edital do museu seja publicado já no ano que vem.

 

Fazenda do Pombal
Informações: (32) 3356-1655

 

 

Como ir

 

Saindo de Belo Horizonte,
existem duas opções:

l  Pela BR-040, sentido Rio de Janeiro, siga até Congonhas e, pouco depois, pegue a BR-383, sentido
São João del-Rei/Tiradentes. Ao
chegar a São João, pegar a  BR-494 até Ritápolis.

l Pela BR-381, sentido São Paulo, seguir até o município de Oliveira. Pouco depois, pegue a BR-494
até Ritápolis.

 

onde ficar

 

Pousada Novas Trilhas
(32) 3356-1138
Pousada e Café Donana
(32) 3356-1032 / (32) 98424-1183
Pousada Quatro Cantos
(32) 3356-1197
Hotel-fazenda Cachoeira
(32) 3371-2822

 

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE TURISMO